0

Compartilhe este conteúdo |

Cena do filme "A Viagem de Fanny"
França ocupada, 1943. Um grupo de crianças judias vive em segurança em uma espécie de orfanato no interior. A chegada dos nazistas representa uma séria ameaça e por isso os meninos e meninas precisam fugir para a neutra Suíça, a poucos quilômetros. A questão é que terão de fazer isso sozinhos e Fanny, de apenas 13 anos será a responsável por manter todos unidos e minimamente tranquilos para alcançar seu objetivo.  Essa é a história contada em A Viagem de Fanny, escrito e dirigido por Lola Doillon.

Orientada por Madame Fornan (Cécile de France), elas assumem identidades francesas, trocando para isso de nome, e liderados por Fanny (Léonie Souchaud), embarcam em uma viagem de trem que vai levá-las ao país vizinho, não afetado pela guerra. No meio do percurso são aprisionadas em uma escola abandonado, passando frio e fome, até que conseguem escapar. A solução, a partir daí, vai ser caminhar por estradas secundárias e florestas para evitar nova apreensão.

Poster do filme "A Viagem de Fanny"Baseado em fatos reais, a viagem tem seus momentos aterrorizantes, mas a ênfase é dada a um lado menos sombrio. A amizade e a solidariedade são os aspectos valorizados na narrativa, que em algumas sequencias nos fazem esquecer que se trata de um drama que tem uma guerra como pano de fundo. Isso acontece, por exemplo, quando as crianças cruzam os belos campos e brincam e correm como se nada de grave estivesse ocorrendo. A dramaticidade só volta nos minutos finais, quando um último e inesperado obstáculo se põe no caminho dos pequenos.

Dramas de guerra sob o ponto de vista de crianças e adolescentes já é praticamente um subgênero, geralmente trazendo um olhar inocente sobre conflitos violentos. Alguns já se tornaram clássicos, como Adeus, Meninos (1987), de Louis Malle, de Michael Haneke. Em A Viagem de Fanny, a guerra serve principalmente para propiciar uma situação em que uma criança precisa enfrentar por dificuldades e provar sua coragem, ou seja, permite encenar um rito de passagem.

Liderado por Souchaud, o elenco infantil tem um desempenho cativante, Cécile de France, como sempre segura e marcante em uma participação relativamente curta, mas fundamental.. A direção de arte é minuciosa, mas devido à abordagem mais positiva, as crianças se mantêm encantadoras mesmo depois de muitos riscos e contratempos.

Por Gilson Carvalho

Nota 7


Ficha Técnica

A Viagem de Fanny (Le Voyage de Fanny) - 94 min.
França - 2017
Direção: Lola Doillon
Roteiro: Lola Doillon
Elenco: Léonie Souchaud, Cecile de France, Fantine Harduin, Juliane Lepoureau, Ryan Brodie, Malonn Lévana

Estreia: 10/08


Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top