0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "O Reino da Beleza"
Um mundo belo, beirando a perfeição é o que pretende construir o arquiteto Luc Sauvageau (Eric Bruneau), que proclama a seus igualmente quase perfeitos amigos: “A feiura é um crime contra a humanidade”, no drama O Reino da Beleza, do roteirista e diretor canadense Denys Arcand.

Profissional bem sucedido, casado com Stephanie (Mélanie Thierry), uma linda loura com quem vive em uma arrojada casa projetada por ele mesmo, e onde recebe amigos charmosos e igualmente bem resolvidos, para tomar um bom vinho, degustar uma deliciosa refeição e até fumar maconha – que ele mesmo cultiva. Nas horas vagas, ele joga tênis, hóquei no gelo, esquia, caça patos, tudo com muita elegância. Luc poderia ser o homem mais feliz do mundo. Sua vida é o que (quase) todo mundo sonha.

No entanto, ainda que cercado de tanta beleza e conforto, Luc não parece ser feliz. Não que seja infeliz; na verdade ele apenas se acha digno de tudo aquilo. Não sente qualquer culpa por trair a mulher com uma jovem Lindsey (Mélanie Markosky) que o aborda da forma mais direta possível, nem se escandaliza quando descobre que ela também dá suas escapulidas. E quando a esposa tem crises de ansiedade, ele ainda assim passa a noite com a amante.
Poster do filme "O Reino da Beleza" 
Denys Arcand se tornou conhecido ao receber, em 2004, um Oscar de melhor filme estrangeiro por As Invasões Bárbaras, no qual critica o precário sistema de saúde canadense, que não atende bem nem os personagens que fazem parte da elite.  Antes, já havia alcançado notoriedade por O Declinio do Império Americano, em que um grupo de intelectuais discute o fim de uma era em uma bela propriedade campestre enquanto experimenta novas formas de relacionamento.

Desta vez, a crítica é bem mais sutil e, para muitas pessoas, passa quase despercebida, já que o que se vê na tela são gloriosas imagens do Canadá, dignas de publicidade, e riquinhos esnobes reclamando sem razão, de coisas como o excesso de turistas em Veneza e Machu Picchu, entre outras. A frieza dos personagens e das paisagens afeta negativamente a audiência, que não percebe a ironia. Talvez porque, para nós, pobres mortais, feiura e beleza convivam lado a lado.

Por Gilson Carvalho

Nota 6


Ficha Técnica

O Reino da Beleza (Le Règne de la Beauté) – 102 min.
Canadá 2017
Direção: Denys Arcand
Roteiro: Denys Arcand
Elenco: Eric Bruneau, Mélanie Thierry, Marie-Josée Croze, Mélanie Markosky, Mathieu Quesnel, Michel Forget, Genevieve Boivin-Roussy, 


Estreia 03/08


Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top