0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Dangal"
Há sete anos, Geeta Phogat fez história ao se tornar a primeira indiana a ganhar uma medalha de ouro em luta livre nos Jogos da Comunidade Britânica, realizados em Nova Delhi, capital do país. A trajetória dessa extraordinária atleta é contada em Dangal, um raro exemplar do cinema indiano a chegar às telas brasileiras. Além da façanha em si, o evento teve um significado especial por se tratar da Índia, onde a participação de mulheres em esportes ainda é um tabu, notadamente em uma modalidade dominada inteiramente por homens.  

Embora mais bem-sucedida e famosa, Geeta não é a única na família a praticar e vencer no esporte; todas suas irmãs - entre elas Babita, que também competiu naqueles Jogos, e seu primo também tornaram-se atletas e ganharam muitas medalhas em diversas competições. O grande responsável por tudo foi o pai das garotas, Mahavir Singh Phogat, um lutador amador que decidiu treinar as filhas pelo simples fato de não ter filhos homens.

O diretor e co-roteirista Nitesh Tiwan parte das conquistas das irmãs Phogat para abordar uma questão extremamente importante na sociedade indiana: a desvalorização das mulheres em todas as áreas; nesse caso específico, no esporte. O filme mostra como foi a entrada delas na luta livre, o preconceito que sofreram nos pequenos torneios locais e regionais, os momentos de dúvida e cansaço.  

Poster do filme "Dangal"Uma das razões do êxito do longa é sem dúvida a presença de Aamir Khan, talvez o mais versátil dos astros do cinema indiano. No papel de mentor e treinador das meninas, ele abandona a imagem de galã e incorpora um homem rústico e até intolerante na sua obsessão por ganhar uma medalha olímpica através de suas filhas. Para isso, manteve-se fiel aos seus rígidos métodos que beiravam a tortura, o que quase afasta suas atletas de seu controle. O contraponto são as garotas, Geeta e Babita, tanto na fase inicial na aldeia (interpretadas por Zaira Wasim e Suhani Bhatnagar), com sua graça e vivacidade, quanto no final, já adultas (Fatima Sana Shaikh e Sanya Malhotra), concentradas nas competições e confrontando o mundo real. A reconstituição das disputas é exemplar e deixa qualquer fã (ou não) do esporte entusiasmado.   

Dangal está sendo lançado no Brasil precedido de grande sucesso internacional, tendo sido o filme estrangeiro mais visto na China em todos os tempos. No mercado doméstico, só recentemente teve seu recorde batido pelo épico Baahabuli: The Conclusion. A temática pode ser um fator de atração para o público brasileiro, além é claro, de suas qualidades cinematográficas. Por outro lado, a longa duração – mais de duas horas e meia – comum na Índia, onde os filmes são apresentados com intervalo, pode assustar alguns. Mas pode também fazer para os filmes de Bollywood, o que a brilhante carreira das irmãs Phogat fez pelo esporte na Índia: atrair mais admiradores.  

Por Gilson Carvalho

Nota 8


Ficha Técnica

Dangal – 161 min.
Índia – 2017
Direção: Nitesh Tiwan
Roteiro: Nitesh Tiwari, Piyush Gupta, Shreyas Jain, Nikhil Mehrotra
Elenco: Aamir Khan, Fatima Sana Shaikh, Sanya Malhotra, Sakshi Tanwar, Aparshakti Khurana, Zaira Wasim e Suhani Bhatnagar


Estreia 22 de junho

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top