0

Compartilhe este conteúdo |

Cena do filme "La Vingança"As comédias nacionais que inundam as salas de cinema brasileiras quase sempre possuem uma característica em comum, um rosto conhecido aos telespectadores, com o seguro desejo de atrair o publico desprevenido pensando que aquele rosto conhecido pode segurar todo um longa-metragem em detrimento de uma boa história, ou mesmo boas piadas. O que o filme La Vingança traz de diferente é sua capacidade de fazer comédia baseado somente no enredo e no bom texto dos dois personagens principais, que não são tão conhecidos nas grandes emissoras televisivas ou internet.

A trama possui todas as características de um road movie: dois amigos, dublês profissionais, caem na estrada com destino a Buenos Aires, a bordo de um interessante personagem sobre a figura de um Opala amarelo 72, com a missão única de tentar conquistar todas as mulheres possíveis nesse caminho. Disfarçado nesse meandro está o desejo de lavar a honra de Caco (Felipe Rocha), um homem de trinta e poucos anos que pegou sua namorada no flagra com um famoso chefe de cozinha argentino. A missão que começa em meio a um porre de dor de cotovelo, tem como grande idealizador o melhor amigo de Caco, Vadão (Daniel Furlan) a grande veia cômica do filme, que apesar de trajar múltiplos clichês de um amigo fanfarrão e boêmio, é genitor das partes mais engraçadas com um texto afiadíssimo, fazendo comédia com basicamente tudo da atualidade, principalmente a rixa Brasil e Argentina.

Essa dualidade Brasil e Argentina é o carro chefe do filme dos diretores Fernando Fraiha e Jiddu Pinheiro, tudo se baseia sobre as rixas recorrentes entre as duas nações, evidentemente o futebol, tendo como lema que não há traição maior do que aquela provocada por um Hermano. Como em 99% dos road movies produzidos, talvez mais importante que o embate final, seja o caminho que o leva até lá. E neste filme não é diferente, há o aprendizado dentro das aventuras que o caminho produz, porém o filme não e tão eficaz em realizar sequências realmente hilárias e bem tramadas e o final já fica totalmente desenhado na mente de quem assiste, em menos de 30 minutos de filme.

Porém o personagem de Daniel Furlan possui um real carisma, com um arsenal completo de piadas sobre a cultura pop, os anos 80 e 90, além das atualidades do nosso universo cotidiano, salvando basicamente o filme nesse sentido. Os três personagens argentinos, integrantes de uma banda, também estão ótimos, mesmo caricatos eles conseguem trazer um vigor em uma parte interessante do filme.

Destaque para a participação rápida porém, sempre especial de Leandra Leal, no papel da namorada traidora e das belíssimas atrizes argentina e francesa Ana Pauls e Aylin Prandi, a primeira no papel de uma irreverente noiva fujona, embora seja uma personagem sem profundidade e deslocada dentro da trama, e a segunda no papel de cantora de uma banda itinerante sendo um ponto chave para o enredo do filme.

Por Lucas Scalioni

Nota: 6,5


Ficha Técnica

La Vingança – 90 min.
Brasil 2017
Diretor: Fernando Fraiha e Jiddu Pinheiro
Roteiro: Thiago Dottori, Pedro Aguilera, Jiddu Pinheiro e Fernando Fraiha
Elenco: Felipe Rocha, Daniel Furlan, Leandra Leal, Aylin Prandi e Ana Pauls

Estreia 16/03
 
Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top