0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Que horas ela volta?"

Que horas ela volta?, de Anna Muylaert, foi o maior vencedor do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, ao receber  sete troféus na cerimônia realizada na noite de terça-feira, 4 de outubro, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Chatô, de Guilherme Fontes, levou cinco prêmios.

Iniciado com uma hora de atraso por causa da chuva, o evento reuniu um grande número de atores, diretores e outros profissionais da área. O diretor Daniel Filho foi o homenageado da 15ª edição do evento. Além dos prêmios atribuídos pela Academia Brasileira de Cinema, as produções concorriam ao Voto Popular, cujo resultado final foi apurado durante a cerimônia. 

O filme de Anna Muylert ganhou nas categorias melhor longa-metragem de ficção, melhor direção, melhor atriz, melhor atriz coadjuvante, melhor montagem ficção, melhor roteiro original e melhor longa-metragem ficção pelo Voto Popular). O segundo mais premiado - Chatô- O rei do Brasil, de Guilherme Fontes, venceu em cinco categorias: melhor roteiro adaptado, melhor figurino, melhor maquiagem, melhor direção de arte e melhor ator.

Melhor longa-metragem de ficção
Que horas ela volta?, de Anna Muylaert

Melhor longa-metragem documentário
Chico – Artista brasileiro, de Miguel Faria Jr

Melhor longa-metragem comédia
Infância, de Domingos Oliveira

Melhor longa-metragem animação
Até que a Sbórnia nos separe, de Otto Guerra

Melhor direção
Anna Muylaert (Que horas ela volta?)

Melhor atriz
Regina Casé (Que horas ela volta?)

Melhor ator
Marco Ricca (Chatô – O rei do Brasil)

Melhor atriz coadjuvante
Camila Márdila (Que horas ela volta?)

Melhor ator coadjuvante
Chico Anysio (A hora e a vez de Augusto Matraga)

Melhor direção de fotografia (empate)
Adrian Teijido (Órfãos do Eldorado)
Mauro Pinheiro Jr (Sangue azul)

Melhor roteiro original
Anna Muylaert (Que horas ela volta?)

Melhor roteiro adaptado
Guilherme Fontes, João Emanuel Carneiro e Matthew Robbins (Chatô – O rei do Brasil)

Melhor direção de arte
Gualter Pupo (Chatô – O rei do Brasil)

Melhor figurino
Rita Murtinho (Chatô – O rei do Brasil)

Melhor maquiagem
Maria Lucia Mattos e Martín Macias Trujillo (Chatô – O rei do Brasil)

Melhor efeito visual
Robson Sartori (A estrada 47)

Melhor montagem ficção
Karen Harley (Que horas ela volta?)

Melhor montagem documentário
Diana Vasconcellos (Chico – Artista brasileiro)

Melhor som
Bruno Fernandes e Rodrigo Noronha (Chico – Artista brasileiro)

Melhor trilha sonora original
Zbgniew Preisner (A história da eternidade)

Melhor trilha sonora
Luiz Claudio Ramos, a partir da obra de Chico Buarque (Chico – Artista brasileiro)

Melhor longa-metragem estrangeiro
O sal da terra, de Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado

Melhor curta-metragem de animação
Égun, de Helder Quiroga

Melhor curta-metragem documentário
Uma família ilustre, de Beth Formaggini

Melhor curta-metragem ficção
Rapsódia de um homem negro, de Gabriel Martins


 
Compartilhe este conteúdo

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top