0



Cena do filme "Quando as luzes se apagam"No saturado cenário atual do cinema de terror, os filmes do diretor australiano-malaio James Wan têm fornecido uma alternativa que, sem inovar, em todo caso retoma alguns dos mais tradicionais clichês do gênero e os dá uma nova e interessante roupagem, em produções acima da média como a série Sobrenatural e Invocação do Mal. Sua mais recente incursão pelo terror é Quando As Luzes Se Apagam dirigido pelo estreante David Sandberg e baseado em um curta dirigido pelo próprio, em 2013.



Como muitos filmes de terror americanos, Quando As Luzes Se Apagam envolve uma família disfuncional: Rebecca (Teresa Palmer), uma jovem roqueira, vive afastada da família após um colapso nervoso de sua mãe Sophie. Esta cria sozinha seu filho Martin, que começa a notar o comportamento estranho de Sophie, que conversa com uma “amiga”, o espírito Diana, que parece ter como missão manter Sophie sob seu domínio, e para isso está disposta a machucar todos aqueles que se aproximam. Quando percebe os maus-tratos a seu irmão, Rebecca decide confrontar a mãe, mas sem saber, atrai para si a ira de Diana.

Poster do filme "Quando as Luzes se Apagam"
Provando que menos é mais, a premissa do filme é de elegante simplicidade: Diana é um monstro que só aparece (e só pode machucá-los) no escuro. É talvez a história de terror mais antiga de todas, uma que pertence ao imaginário coletivo, povoando incontáveis infâncias. Esse artifício ajuda a criar um ambiente de tensão que se mantém ao longo do filme, pois basta um pouco de escuridão para Diana aparecer e ameaçar os protagonistas. No entanto, a simplicidade do filme pode ser enganadora: atrás do filme de monstro, se revela, na relação entre Sophie e Diana, um astuto comentário sobre relacionamentos abusivos e seus efeitos sobre crianças.

As atuações são outro ponto forte, com uma boa química entre o elenco principal, especialmente entre a filha rebelde feita por Teresa Palmer e sua mãe depressiva Sophie, (Maria Bello). O que poderia ser um longa de terror dispensável se torna assim um filme sólido, competente, cujos 81 minutos passam rapidamente, o que é bom para o espectador: só com as luzes do cinema acesas, pode-se respirar aliviado de que Diana não estará lá.

Por Franco Alencastro

Nota: 8


Ficha Técnica

Quando As Luzes se Apagam (Lights Out) – 81 min.
Reino Unido – 2016
Direção: David Sandberg
Roteiro: Eric Heisserer, David Sandberg
Elenco: Teresa Palmer, Maria Bello, Billy Burk, Alexander DiPersia, Alicia Vela-Bailey,  Gabriel Bateman

Estreia 18/08

 

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top