0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Coração de Cachorro"
Coração de Cachorro, da vanguardista Laurie Anderson, trata da morte a partir de uma série de digressões da diretora amarradas por um acontecimento, o falecimento de sua cachorra Lolabelle. A apurada sensibilidade artística de Anderson e as relações que ela consegue fazer entre acontecimentos banais e assuntos relevantes, como o 11 de setembro e a vigilância instaurada pela guerra ao terror, transformam o filme em uma profunda experiência filosófica.

O documentário traz uma série de apontamentos sobre a lida com a morte, seja ela de um parente próximo, de um animal de estimação ou de um símbolo (como o World Trade Center). Laurie Anderson navega por essas questões a partir de sua relação com a cachorra Lolabelle.

“Coração de Cachorro” traz uma análise íntima sobre a morte


Laurie Anderson, artista da vanguarda nova-iorquina, traz na construção de Coração de Cachorro a arte em sua forma pura. A narrativa do filme é formada a partir de uma linha de pensamento, ou melhor, um compilado de pensamentos aparentemente desconexos que criam uma linha de pensamento.

Poster do filme "Coração de Cachorro"O filme começa com um sonho, passado para tela em forma de animação. Nele, Laurie imagina estar no hospital dando a luz à sua cadela, mas revela que foi tudo uma armação e que ela mesma teria costurado o animal dentro de sua barriga. A diretora transmite muita ternura enquanto narra o sonho, mas percebemos que tudo é muito perturbador. Essas emoções cruzadas estão presentes durante o filme, promovendo uma intensa introspecção em quem assiste.

Durante a primeira metade de Coração de Cachorro, Anderson faz impressionantes conexões entre seus aparentemente confusos pensamentos e o que ocorrera nos Estados Unidos após o de setembro, trazendo a tona o sentimento do povo nova-iorquino e transmitindo-o para o espectador. Na segunda metade a diretora parece se importar menos em fazer estas associações e de tentar seguir uma lógica narrativa (ou a se ater a qualquer tipo de narrativa), jogando pensamentos e imagens.
O uso das imagens no filme se aproxima mais da vídeo experimentação, ora servindo de apoio para o que está sendo narrado, ora se apresentando caoticamente, como se mimetizassem o turbilhão de pensamentos da diretora.

Coração de Cachorro é uma reflexão pessoal de Laurie Anderson sobre a vida e a morte. Esta pessoalidade o torna difícil de assistir, assim como sua narrativa abstrata, mas também é sua grande qualidade.

Por Otavio Lima

Nota 5


Ficha Técnica

Coração de Cachorro (Heart of a Dog) – 75 min
EUA/França – 2016
Direção:Laurie Anderson
Roteiro: Laurie Anderson

Estreia: 04/08



O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top