0



Aquarius, de Kleber Mendonça Filho, conseguiu a proeza de ser selecionado para o Festival de Cannes, além de receber diversos prêmios em outros festivais mundos afora. Tem sido mais falado, porém, pelo protesto que a equipe realizou contra o governo interino do Brasil em plena Croisette do que por suas qualidades, que tem em seu elenco Sônia Braga, em seu primeiro filme brasileiro em muito tempo. Outro fato que rendeu comentários e protestos foi ter recebido do Ministério da Justiça a classificação indicativa de 18 anos, devido a breves cenas de sexo, o que foi encarado como retaliação por seus realizadores.  

Para alguns, isso nada tem a ver com o filme; para outros, é um sintoma das mudanças que o Brasil está vivendo. Polêmicas à parte, Aquarius merece ser visto pelo que é: uma obra de arte autônoma e original, que fala do seu tempo com propriedade.  



Cena do filme "Aquarius"Aquarius começa apresentando Clara (Bárbara Colen), uma mulher jovem, casada, charmosa com seus cabelos bem curtos, efeito colateral de um câncer de mama recém curado. No Recife dos anos 1980, descobre uma nova banda, Queen, homenageia a tia Lúcia (Thaia Perez) por seu aniversário de 70 anos, convive em harmonia com sua família. 



Um salto para os tempos atuais e Clara (Sonia Braga) é uma jornalista e escritora que usufrui de sua aposentadoria entre livros, discos e memórias em seu agradável apartamento no edifício Aquarius, na praia de Boa Viagem, Recife, onde viveu toda sua vida. Filhos criados, passa os dias a escutar música e dar mergulhos no mar, num prédio quase deserto; todos os apartamentos, exceto o seu, foram comprados por uma construtora que planeja construir em seu lugar um condomínio moderno. 

Mas Clara resiste a vender seu imóvel, apesar da pressão da incorporadora, que manda um jovem e ambicioso arquiteto tentar convencê-la, e da preocupação dos seus filhos, que não gostam de vê-la sozinha no antigo edifício. Tentando manter sua rotina, vê seu dia-a-dia cada vez mais ameaçado por festas, cultos, encontros, obras, todo tipo de movimentação nos outros andares, com um único propósito: expulsá-la do seu lar.

Poster do filme "Aquarius"Do ponto de vista narrativo, Aquarius é mais acessível do que O Som ao Redor, primeiro longa de Mendonça Filho, lançado em 2013, também premiado em vários festivais internacionais. Os dois longas têm diversos pontos de contato: ambos mostram como a cidade de Recife, e por extensão, todo o Brasil, está se transformando, perdendo suas características, sendo envolvida por uma modernidade que esvazia os espaços de convivência, destrói a memória, erige monstros de aço e vidro, muito distantes da escala humana. 

Ao mesmo tempo, Aquarius acena, através da personagem principal, com uma possibilidade de resistência, mantendo-se  uma postura altiva diante das adversidades e contando com o  apoio do círculo mais próximo, que inclui família, amigos e até outros indivíduos que fazem parte do nosso cotidiano, como, no caso de Clara,  Roberval (Irandhir Santos), mais que um mero salva-vidas, um parceiro.   

Sonia Braga está em sua melhor forma como a protagonista Clara. Segura, contida, precisa, incorpora de maneira absoluta a mulher experiente mas ainda cheia de vida, que escolhe bem suas batalhas. O restante do elenco reage à altura, com Humberto Carrão fazendo um belo opositor, Irandhir Santos com sua interpretação aparentemente sem esforço e todos os outros atores, sem exceção, no ponto exato.

Tecnicamente, o longa é exemplar, com direção de arte, som, fotografia muito bem resolvidos. A trilha sonora, que traz Queen, Taiguara, Maria Bethânia e Villa-Lobos, ocupa um papel especial no filme, que tem a qualidade rara de falar de nós e de nosso tempo, ao mesmo tempo que é capaz de se comunicar com qualquer tipo de plateia do planeta. 

Por Gilson Carvalho

Nota 8,5



Ficha Técnica


Aquarius – 145 min. 
Brasil/França – 2016
Direção: Kleber Mendonça Filho
Roteiro: Kleber Mendonça Filho
Elenco: Sonia Braga, Maeve Jinkins, Humberto Carrão, Irandhir Santos, Zoraide Coleto, Fernando Teixeira, Pedro Queiroz, Carla Ribas, Bárbara Colen, Thaia Perez. 



Estreia 01/09 

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook



Postar um comentário

 
Top