0

O Abraço da Serpente foi o grande vencedor da terceira edição dos Prêmios Platino do Cinema Ibero-americano . O filme do diretor colombiano Ciro Guerra recebeu sete das oito estatuetas a que foi indicado, incluindo melhor filme e melhor diretor. A cerimônia de entrega aconteceu na noite de domingo, 24 de julho, em Punta del Este, Uruguai.

Guillermo Francella foi escolhido melhor ator por O Clã e Dolores Fonzi recebeu o prêmio de melhor atriz por Paulina.  O melhor roteiro foi O Clube, de Pablo Larraín. A melhor animação foi Atrapa la Bandera, da Espanha. O prêmio ao melhor documentário foi para o chileno El Botón de Nácar, de Patrício Guzmán. O filme brasileiro "Que horas ela volta?", de Anna Muylaert levou o Prêmio Platino de Cinema e Educação em Valores.


O ator argentino Ricardo Darín recebeu o Platino de Honra por sua carreira. No seu discurso de agradecimento disse que o cinema ibero-americano deve ter "talento, vontade, picardia e atrevimento" para superar sua falta de orçamento em relação às superproduções norte-americanas. Darín foi indicado para melhor ator, por Truman, mas não levou o prêmio.

A Entidade Espanhola de Gestão de Direitos Audiovisuais (Egeda) promotora dos Prêmios Plano em parceria com a Federação Ibero-Americana de Produtores (FIPCA) anunciou a capital da Espanha, Madri, como sede da próxima premiação, em 2017. 

Ganhadores


Melhor filme
O Abraço da Serpente (Colômbina, Venezuela e Argentina))

Melhor diretor
Ciro Guerra (O abraço da serpente)

Melhor ator
Guillermo Francella (O Clã)

Melhor atriz
Dolores Fonzi (Paulina)

Melhor roteiro
Pablo Larraín, Guillermo Calderón e Daniel Villalobos (O Clube)

Melhor animação
Atrapa la Bandera (Espanha)

Melhor documentário
El Botón de Bácar (Chile e Espanha)

Melhor edição
Etienne Boussac e Cristina Gallego (O Abraço da Serpente)

Melhor direção de arte
Angélica Perea (O Abraço da Serpente)

Melhor direção de fotografia
Carlos García e Marco Salavarria (O Abraço da Serpente)

Melhor música original
Nascuy Linares (O Abraço da Serpente)

Melhor direção de som
Carlos García e Marco Salaverría (O Abraço da Serpente)

Prêmio Platino Camilo Vives a longa de estreia de seu diretor
Ixcanul (Guatemala)




Compartilhe este conteúdo

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top