0

Compartilhe este conteúdo |



Cena do filme "Caça-fantasmas"
Caça-Fantasmas, a versão deste século de Os Caça-Fantasmas (1984), não fica atrás do filme protagonizado por Bill Murray (que tem uma ótima participação no filme de 2016), cujo personagem fora substituído por Erin Gilbert (Kristen Wiig), líder do quarteto agora composto somente por mulheres. O filme, apesar de não inovar em nada no seu enredo, é muito bem editado e representa um dos melhores trabalhos de direção de Paul Feig. Os efeitos especiais do filme, a estética dos novos fantasmas e o excelente uso do 3D formam uma obra visualmente impactante que certamente vai entreter os mais novos.
Caça-fantasmas - sem o artigo - é um reboot do filme de 1984. Nele, Erin Gilbert é uma acadêmica prestes a se tornar cátedra, mas topa com um pedaço de seu passado que acaba por fazê-la ser demitida: um livro sobre fantasmas que escrevera com sua amiga Abby Yates (Melissa McCarthy). Subconscientemente ainda interessada pelo paranormal, Erin acompanha a amiga e a cientista maluca Jilian Holtzmann (Kate McKinnon) na investigação de uma mansão mal assombrada. É lá que as três são confrontadas por um fantasma. Mais tarde elas se unem à funcionária do metrô Patty Tolan (Leslie Jones) para combater os espectros que ameaçam mais uma vez a azarada cidade de Nova York.

Reboot traz uma bem-vinda atualização de Os Caça-Fantasmas, mas fica na sombra do filme original e inova pouco

Em seu novo longa, Paul Feig usa da mesmíssima estrutura do filme original. O diretor traz inovação através da escolha do elenco. McCarthy e Wiig acrescentam à trama fantasmagórica uma boa dose de humor com seus diálogos nonsense, mas não há nada de muito particular em seus personagens e as atrizes fazem o de sempre nas suas interpretações, com piadas improvisadas que muitas vezes sacrificam o ritmo do filme. Quem rouba a cena é Kate McKinnon em um memorável papel de cientista maluca. As poucas vezes em que Feig a deixa brilhar, McKinnon acerta em cheio, em uma interpretação corporal que beira perigosamente o overacting, mas que acha seu lugar neste filme, tornando-a carismática e divertida.
O papel de caça-fantasma negro vai para Leslie Jones, que vive Patty, a única não cientista do grupo. Apesar de ter uma participação maior do que teve Winston Zeddmore (personagem de Ernie Hudson), Jones interpreta um estereótipo, mesmo que haja uma tentativa forte no filme de fazê-la ser mais do que isso.
Cena do filme "Caça-fantasmas"
Outro papel de destaque e que dá momentos divertidos ao filme é o de Chris Hemsworth interpretando o “burro, porém gostoso” secretário Kevin, contratado pelas caça-fantasmas exclusivamente por sua aparência. Este papel é tão antigo quanto o próprio Cinema, o que tem de novo é ele ser interpretado por um homem, e não só por um homem, um Deus, Thor. O personagem vivido pelo australiano explora à exaustão as piadas com referências ao papel do ator nas franquias da Marvel. A repetição de piadas de humor pastelão, das que querem reiterar a burrice de Kevin e daquelas que procuram nos lembrar de Hemsworth como Thor são cansativas.
Também estão presentes no filme os caça-fantasmas de1984. Bill Murray, Dan Aykroyd e Ernie Hudson dão o ar da graça em belíssimas participações, para agradar (ou desagradar) os nostálgicos. As aparições de Sigourney Weaver, Annie Potts e o fantasma Geleia, além de muitos easter eggs dos filmes anteriores, são um apelativo para os fãs deixarem o ceticismo de lado e irem ao cinema (até Ozzy Osbourne tem participação em Caça-Fantasmas).
Poster do filme "Caça-fantasmas"Muito do reboot remete ao original, chegando a deixar uma sensação de que o filme de Feig não tem vida própria e tem medo de inovar. É de se esperar dos grandes estúdios de Hollywood que as velhas fórmulas para ganhar dinheiro sejam usadas a todo o momento, fato ainda mais evidente em reboots, já que é possível fazer a comparação do dito “novo” com seu predecessor. Aqui, a presença do elenco e de personagens do filme 1984 não nos deixa esquecer de Os Caça-Fantasmas (1984), ponto negativo na construção de uma nova franquia com uma nova identidade.
A má reação a este filme que circula pela internet, com críticas feitas por pessoas que sequer viram o filme, é impressionante - no sentido negativo, é claro. Vale lembrar que o fracasso de Os Caça-Fantasmas 2 foi tão grande que Bill Murray, Dan Aykroyd e Harold Ramis vetaram uma possível continuação. Até que Ivan Reitman (diretor do filme de 1984 e produtor do novo) os convenceu a fazer uma nova história a partir da antiga e com novos personagens.
Caça-Fantamas é um filme despretensioso e, como tal, pode divertir. É uma nova e bem-vinda abordagem de um clássico dos anos oitenta, agora adaptado para um novo público em um novo século. E para os antigos convém abandonar os preconceitos e, no mínimo, o assistir o filme para depois criticar.
Por Otávio Lima
Nota 6
 
Ficha Técnica 
Caça-Fantasmas (Ghostbusters) - 116 min. EUA - 2016
Direção: Paul Feig
Roteiro: Katie Dippold, Paul Feig
Elenco: Melissa McCarthy, Kristen Wiig, Katie McKinnon, Leslie Jones, Chris Hemsworth, Charles Dance, Andy Garcia, Dan Akroyd, Sigourney Weaver, Bill Murray
Estreia: 14/07 

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top