0

Compartilhe este conteúdo |

Entrevista-Coletiva-Cidades-de-Papel
O ator Nat Wolff e o escritor John Green concederam uma entrevista coletiva no dia 1º de julho, no Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, sobre o filme Cidades de Papel. Wolff é o protagonista - ao lado da atriz e modelo Cara Delevingne, e Green, o autor do livro em que o drama juvenil foi baseado. Em um salão lotado de jornalistas de todo o país, eles falaram do filme, da amizade estabelecida durante as filmagens e da experiência de estar no Brasil.

Green contou que esteve no set de filmagens, mas não deu palpites. Disse ainda que  experiência foi totalmente positiva, e fez muitos elogios ao ator: “Não fiquei com medo da adaptação porque já conhecia os roteiristas, que são os mesmos do outro filme. Outra coisa que ajudou foi eu já ter conhecido o Nat. Ele é um ótimo ator,  muito  envolvido com o projeto.”

Wolff, que teve um papel em A Culpa é das Estrelas, disse que achou que havia ganho a loteria quando foi escalado para protagonizar o segundo filme: “Esse era meu livro favorito e tem sido uma experiência mágica. John está sendo modesto, seu apoio foi muito importante”, devolveu. Sobre a convivência com os outros atores e os técnicos, o jovem ator fez um comentário que arrancou risadas: “Todo mundo diz que o elenco e equipe se transformam em uma família quando estão filmando e em 90% dos casos é mentira. Mas no nosso caso, realmente nos tornamos próximos. Passavamos o tempo todo juntos, jogávamos vídeo game, e agora temos um grupo no whatsapp.”

Green contou que a ideia para Cidades de Papel surgiu quando, ao viajar com sua esposa, não conseguiu encontrar um lugar que estava no mapa. Descobriu que era um artifício que cartógrafos criaram para proteger seus direitos autorais. Daí, a aplicou a sua experiência de ter crescido em Orlando – uma cidade vazia, de papel, segundo ele. É uma cidade totalmente fake. “As pessoas vão lá, se divertem e voltam para a vida real.  Imaginem o que é ir à Disney 30 vezes todo verão por 15 anos? Eu odeio a Disney!" Mas emendou, brincando: "Sorte que não foi a Disney que quis adaptar meu livro. Seria muito estranho!".

Cidades de Papel conta a história do adolescente Quentin Jacobsen, interpretado por Wolff, que é apaixonado por Margo Roth Spiegelman (Delevingne) desde que a viu pela primeira vez, ainda criança. Anos depois, eles vivem uma aventura juntos e Q, como é chamado, vê a chance de transformar a paixão em realidade. O filme estreia em todo o Brasil no dia 9 de julho, duas semanas antes dos Estados Unidos. Isso mostra o alcance das obras de Green por aqui, onde seu primeiro livro adaptado, A Culpa é das Estrelas, se tornou um fenômeno. Para Green, algo totalmente inesperado: "Em nenhum lugar meus livros - e até os filmes - são mais conhecidos do que aqui no Brasil. Por isso fizemos questão de lançá-lo aqui”, afirmou. 



O Cinema está na Rede e também no Twitter
O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top