0

Arnold Schwarzenegger - Entrevista coletiva

Ele está de volta. O Exterminador do Futuro, ou melhor, Arnold Schwarzenegger retoma o papel, mais de três décadas depois, que o tornou célebre.  O astro aproveitou sua passagem pelo Rio de Janeiro para uma feira de fitness e lançou O Exterminador do Futuro – Gênesis, com estreia mundial marcada para dois de julho. Em um hotel de luxo na zona sul da cidade, o ator deu uma entrevista coletiva para quase uma centena de jornalistas de toda América Latina. E mostrou que não perdeu a forma.

Descontraído e bem-humorado, Schwarzeneger primeiro assumiu diversas poses na sessão de fotos no balcão externo do hotel, acenou para pessoas no calçadão e até fez selfie com os profissionais da imprensa. Depois, falou sobre sua carreira, seu prazer em voltar a encarnar o robô T- e de sua vida pessoal. “Fiquei muito feliz por ter sido convidado a voltar a fazer o Exterminador. Gosto de todo tipo de filme, mas este é especial”, disse o ator, que também elogiou a escalação da jovem atriz Emilia Clarke, de Games of Thrones, para o papel de Sarah Connor, interpretado originalmente por Linda Hamilton. “Eu a vi seu corpo e sua atitude mudar depois de meses de preparo para interpretar a mulher forte que é Sarah Connor.”

Nesta quinta aventura da franquia, o líder da resistência humana John Connor (Jason Clarke), envia o Sargento Kyle Reese (Jai Courtney) a 1984 para proteger sua mãe, Sarah Connor (Emilia Clarke). Acontecimentos inesperados provocam mudanças na linha do tempo e novos aliados entram em cena, como o Guardião (Arnold Schwarzenegger).

Para fazer o filme, Schwarzenegger malhou bastante, ganhando cerca de cinco quilos de músculos. A passagem do tempo não o preocupou, porque a estrutura interna do ciborgue não envelhece, só o tecido humano que o recobre. Por isso, não foi difícil voltar ao personagem. O maior desafio, segundo ele, foi atuar em cenários virtuais, o famoso Chroma-key. E, graças ao roteiro, o filme vai agradar igualmente ao público masculino e ao feminino.

No futuro, pretende retomar a dupla com Danny DeVito, com quem fez Gêmeos, e fazer uma sequencia de Conan, o Bárbaro, outro personagem icônico em sua carreira. Sobre a política – ele foi governador da Califórnia, disse apenas que se fosse presidente do Brasil, faria o mesmo que fez lá: unir as pessoas. “O político deve servir ao povo, não aos partidos.”

Arnold Schwarzenegger - Entrevista coletivaAinda disse que se sente muito sortudo. “Disseram que eu nunca teria sucesso, que halterofilismo era um esporte americano, que teria que fazer ski ou futebol. Quando cheguei a Hollywood, falaram que meu nome era muito longo, que o sotaque era forte, que o corpo era grande demais. Persisti e deu tudo certo.”

No final da entrevista, Schwarzenegger elogiou o Rio de Janeiro e o Brasil. Disse que quando perguntaram onde ele queria realizar a feira de fitness que leva seu nome, imediatamente escolheu o Rio. “Estive aqui a primeira vez em 1970, numa escala para a África do Sul. Decidi passar a noite na cidade, peguei um táxi e fui conhecer o Cristo, bares, restaurante, boates. Me apaixonei pela cidade.” 

Ainda deu uma força para a seleção brasileira. Disse que apesar do fracasso do time, a copa do Brasil foi a melhor de todos os tempos e que o futebol brasileiro é reconhecido como um dos melhores do mundo. “Todos temos altos e baixos. Eu fracassei algumas vezes, no esporte, no show business e na política. Temos que acreditar nos sonhos e nunca desistir.” 

Por Gilson Carvalho
Fotos Letícia Cruxen

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top