0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Jauja"Jauja, de Lisandro Alonso, é um filme bastante peculiar. Conta uma história muito simples, quase inexistente. Mas não é isso que chama a atenção; o que ressalta são as imagens, extremamente belas, emolduradas em um formato quadrado, pouco comum, e a participação do ator Viggo Mortensen, célebre como Aragorn da multibilionária trilogia O Senhor dos Anéis, de Peter Jackson.

Antes de a história começar, um letreiro informa que Jauja é um lugar mítico, repleto de abundancia e felicidade. Só então vemos um acampamento militar na costa da Patagônia, região desolada no sul da Argentina. Embora não seja dito, se passa no final do século 19, quando houve uma campanha para exterminar os indígenas locais. O engenheiro dinamarquês Gunnar Dinesen (Mortensen) foi convidado a trabalhar nesse projeto, e traz consigo a filha Ingeborg (Villbjork Agger Malling), de apenas 15 anos. Cobiçada pelo lascivo tenente Pittaluga (Adrian Fondari), a garota acaba fugindo com um soldado, Corto (Diengo Roman), o que coloca o pai em seu encalço.

Tem início aí a busca do europeu através do território inóspito, que parece conduzi-lo para cada vez mais longe do seu objetivo. Depois de perambular pelo deserto e rochas, ele tem um encontro com uma estanha senhora que vive em uma caverna no meio do nada e que conduz a narrativa de volta para o presente e para outro lugar: a Dinamarca, onde vive uma outra adolescente. 


Viggo Mortensen estrela "Jauja", exemplo de slow cinema  


Poster do filme "Jauja"Lisandro Alonso pratica o chamado slow cinema, também conhecido como cinema contemplativo. Todos seus filmes têm pouquíssimos diálogos e narrativa fluida.  Quando ao formato e as cores saturadas, talvez seja para lembrar antigas fotografias, situando a trama no passado. Por fim, embora nascido nos Estados Unidos, Viggo Mortensen passou parte de sua vida na Argentina e já atuou em outros projetos em língua espanhola, que domina bem.

Jauja é assim uma produção pessoal, pouco 

Os prêmios conquistados em Cannes e outros festivais parecem confirmar aquela máxima de que certos filmes são feitos exatamente para isso: causar impacto sobre a crítica especializada  e colecionar estatuetas em  festivais. Na verdade, empreendimentos como os de Alonso ampliam o horizonte e renovam a linguagem cinematográfica. Se terá sucesso comercial ou não, já é outra história.  

Por Gilson Carvalho

Nota 6


Ficha Técnica

Jauja – 109 min.
Argentina, Dinamarca, França, México, EUA, Alemanha, Holanda - 2014 Direção: Lisandro Alonso Roteiro: Lisandro Alonso, Fabian Casas Elenco: Viggo Mortensen, Ghita Narby, Villbjork Mallin Agger, Esteban Bigliardi, Diego Roman, Adrian Fondari.



Estreia: 25/06

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook




Postar um comentário

 
Top