0


Cena do filme "Risco Imediato"
Risco Imediato, de Henrik Ruben Genz, poderia ser um thriller razoável: tem uma história que mesmo batida poderia ser bem trabalhada, elenco com nomes conhecidos e, com cenário, Londres. Mas, além de mal adaptado, é pessimamente realizado e o casal de protagonistas – James Franco e Kate Hudson, parece não se esforçar muito.

Tom (Franco), arquiteto, e Anna (Hudson), professora se mudaram para a capital inglesa depois de sofrerem alguns reveses; ele perdeu negócios devido à crise econômica: ela sofreu um aborto. Além disso, herdaram uma casa decrépita que ele decidiu recuperar. A intenção era um recomeço, mas os problemas financeiros os colocaram à beira de um colapso.

Em outro lado da cidade, um grupo de marginais rouba uma casa noturna suspeita. Um dos integrantes rouba dos ladrões e foge. Pouco tempo depois, Tom e Anna encontram seu corpo no porão da casa deles, que o bandido alugava. Passado o choque, outra surpresa, desta vez boa; encontram um monte de dinheiro no forro da casa, e decidem não entregá-lo à policia e esperar para ver o que acontece. Com tantas dívidas e muitos euros à disposição, eles não resistem e começam a gastar. Só que os donos da bolada também a querem.

"Risco Imediato": clichês e estereótipos banalizam thriller 


Poster do filme "Risco Imediato"O maior – mas não único, problema do longa é o roteiro, cheio de furos, como o fato de o casal só perceber a televisão do inquilino ligada no dia seguinte à morte dele.  Outro problema é a motivação do veterano policial Halden (Tom Wilkinson) para persistir na investigação do crime: sua filha morreu devido a drogas. Ele tem quase certeza que o responsável é o mesmo que está procurando o dinheiro de que o casal se apossou e por isso fica no pé deles, contra as ordens de seu chefe.

O filme também é cheio de clichês e estereótipos. O casal bobinho que só ele é americano. Os bandidos pertencem à máfia russa – caso do brutamontes Jack Witkowski (Sam Spruell) ou são franceses – como o mais refinado e filosófico, mas não menos cruel e com um nome impagável Ghengis Khan (Omar Sy). A seqüência final é risível, e quase todos saem perdendo, inclusive a plateia.

Por Gilson Carvalho

Nota 4


Ficha Técnica

Risco imediato (Good People) – 90  min.
Reino Unido/EUA/Suécia/Dinamarca - 2014
Direção: Henrik Ruben Genz
Roteiro: Kelly Masterson, baseado na obra, de Marcus Sakey
Elenco: James Franco, Kate Hudson, Tom Wilkinson, Omar Sy,Sam Spruell, Diarmaid Murtagh, Anna Friel

Estreia: 09/04


Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top