0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "118 Dias"
118 Dias foi o tempo que o jornalista Maziar Bahari ficou preso em Teerã, em 2009, apenas por ter documentado a violência do regime iraniano contra a população do próprio país, que protestava contra o governo, após a denúncia de fraude nas eleições presidenciais. O drama político, baseado no livro de Bahari, marca a estreia do apresentador de TV Jon Stewart como roteirista e diretor de cinema.

Bahari, representado por Gael Garcia Bernal, era um repórter iraniano radicado em Londres, que recebeu a incumbência de cobrir as eleições para a revista Newsweek. Na capital iraniana, o clima de animosidade era claro, com os correligionários do presidente Mahmoud Ahmadinejad hostilizando a oposição, que acabou derrotada de modo suspeito. Por ter filmado e divulgado imagens do assassinato de um manifestante contrário ao governo, Bahari foi encarcerado e, por quase quatro meses, sofreu tortura física e psicológica.  

Bem-intencionado, “118 Dias” peca ao exagerar no tom panfletário


Poster do filme "118 Dias"Em sua estreia na direção, o jornalista Jon Stewart comete um erro primário: não escuta o outro lado. Imbuído da sua missão de denunciar os desmandos do regime, ele não vai além da superfície da problemática iraniana. Chega a ser infantil a forma como retrata os detentores do poder, incluindo alguns policiais, que se expressam de forma pouco convincente. Assim, o filme perde força ao se tornar excessivamente panfletário, algo que um profissional da imprensa experiente como Stewart, que em seu programa de TV aborda questões políticas com bastante propriedade, jamais deveria permitir.

De todo modo, o longa tem excelente produção, com ótima fotografia e criativo uso de efeitos visuais, ressaltando o uso, pelos iranianos, da internet e redes sociais como forma de mobilização. A narrativa é fluida e dinâmica, pela linguagem jornalística e inserção de cenas autênticas de noticiários de TV da época.  

O ator Gael Garcia Bernal desincumbe-se bem do papel de repórter, assim como todo o elenco, com destaque para Dimitri Leonidas, que faz Davood, o motorista militante; Shohreh Aghdashloo (Moloojoon, mãe de Bahari) e o dinamarquês Kim Bodnia, no papel do inquisidor Rosewater (nome original do filme), que trava embates memoráveis com o jornalista.  

Por Gilson Carvalho

Nota 7


Ficha Técnica

118 Dias (Rosewater) – 103 min.
EUA - 2014 
Direção: Jon Stewart 
Roteiro: Jon Stewart 
Elenco: Gael Garcia Bernal, Kim Bodnia, Dimitri Leonidas, Haluk Bilginer, Shohreh Aghdashloo, Golshifteh Farahani, Claire Foy, Amir El-Masry, Nasser Faris, Kambiz Hosseini, Numan Acar, Ayman Sharaiha, Zeid Kattan, Jason Jones

Estreia: 05/03


Compartilhe este conteúdo |
O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top