0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Dois Dias, Uma Noite"Dois Dias, Uma Noite é um drama social dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne. Do mesmo modo como fizeram em obras anteriores, eles se debruçam sobre a classe trabalhadora belga para falar de consciência, solidariedade e espírito comunitário num mundo assolado pelo egoísmo e individualismo. A protagonista Marion Cotillard recebeu uma indicação ao Oscar de melhor atriz por este trabalho.

Dois dias e uma noite é o tempo que Sandra (Marion Cotillard) tem para convencer seus colegas a mantê-la no emprego numa fábrica de painéis solares. Para isso, eles têm de abrir mão do bônus de final de ano, uma quantia significativa e necessária para todos. Na primeira votação, a maioria absoluta optou pelo dinheiro. Uma amiga de Sandra insiste que ela deve lutar para reverter o resultado e continuar no trabalho.

A história começa com um close de uma mulher dormindo enquanto um alarme insistente toca. Ela acorda, levanta, atende o telefone, vai à cozinha, toma remédios e chora. É em torno desse personagem que gira a trama. Fragilizada, insegura, depressiva no começo, Sandra vai emergindo como uma mulher renovada à medida que percorre o árduo caminho que vai da humilhação ao resgate da dignidade.

"Dois Dias, Uma Noite" denuncia a crise que o mundo atravessa e apela à solidariedade


Poster do filme "Dois Dias, Uma Noite"A narrativa é naturalista, com a câmera seguindo todos os passos de Sandra bem de perto. Pouco se mostra do ambiente, quase nada se fala do passado ou de outros assuntos. É o que está sendo exibido que interessa. Os personagens secundários são mostrados por breves instantes. Mesmo Manu (Fabrizio Rongione), marido de Sandra, que a apoia nessa luta, aparece apenas de tempos em tempos. Significativamente, Jean-Marc, o antagonista, gerente da empresa, não é visto, apenas citado.  

O longa claramente tem uma mensagem, mas nunca é panfletário. Todos os personagens têm suas razões. A crise é geral. Até o casamento de Sandra e Manu passa por um momento difícil. Em uma determinada cena, Sandra diz “não quero pena, só quero meu emprego.” Para o espectador brasileiro, pode ser uma surpresa perceber que a família de Sandra tem uma casa bonita, de dois andares, um bom carro, tudo muito diferente das nossas condições. Isso ressalta o quanto ainda precisamos avançar.

Marion Cotillard está absoluta. Sem glamour, vestindo uma calça jeans simples, camiseta lisa, cabelos presos, sem maquiagem transmite toda a angústia e incerteza que a personagem vive. Interpreta com o rosto, os olhos, o corpo, a voz. Convence e encanta como uma mulher tentando resgatar sua identidade, seu lugar, seu futuro, assim como foi uma perfeita Edith Piaf, papel que lhe rendeu um Oscar. 

Por Gilson Carvalho

Nota 9


Ficha Técnica

Dois Dias, Uma Noite (Deux Jours, Une Nuit) – 95 min.
França/Bélgica/Itália - 2014
Direção: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne
Roteiro: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne
Elenco: Marion Cotillard, Fabrizio Rongione, Catherine Salée, Baptiste Sornin, Pili Groyne, Cristelle Cornil

Estreia: 05/02

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top