0

Compartilhe este conteúdo |



Cena do filme "O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos"
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos começa exatamente onde termina o filme  anterior, A Desolação de Smaug, com o temível dragão destruindo a Cidade do Lago, numa seqüência eletrizante, digna do melhor já produzido por Peter Jacskon. E é a morte de Smaug que simboliza realmente o início do fim da saga protagonizada por Bilbo Bolseiro (Martin Freeman).
A terceira e última parte da trilogia desperta muita expectativa e talvez um grau de exigência maior que as anteriores. Afinal é a despedida de todos os heróis e suas incríveis aventuras, iniciadas em 2001 com O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel.  Assim sendo, A Batalha dos Cinco Exércitos proporciona o prazer esperado, ainda que cometa alguns deslizes
Por um lado, há um raro equilíbrio quase perfeito entre ação e narrativa, com os eventos acontecendo num ritmo confortável e coerente com o objetivo geral do filme e da trilogia.  Há, talvez, duas exceções: a seqüência em que Thorin cai em si e volta a ser o líder de sempre, um pouco forçada e confusa; e a incrível peripécia de Legolas no final da super-batalha contra os Orcs, mais uma ideia tão louca que acaba sendo considerada muito boa por alguns.

"A Batalha dos Cinco Exércitos" fecha com ação e emoção na medida certa a saga do Hobbit

Poster do filme "O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos"Por outro lado, há momentos em que se percebe falta de desenvolvimento, principalmente na participação de Galadriel (Cate Blanchet) Elrond (Hugo Weaving) e Saruman (Christopher Lee), num dos melhores momentos, porém curto demais.  Isso ocorre porque ao mesmo tempo que precisa amarrar diversas pontas, tem que encenar a tal batalha do título em que homens, anões, orcs e elfos pegam em armas para obter sua fatia do ouro de Erebor. O protagonismo é compartilhado por Thorin (Richard Armitage), o líder dos anões e Bard (Luke Evans), o heróico humano, com o auxílio de Gandafl (Ian McKellen) e do próprio Bilbo.
Tecnicamente, o longa é praticamente perfeito, tendo todos seus elementos muito bem combinados de modo a obter o efeito desejado;  as belas paisagens da Nova Zelândia muitas vezes mostradas em planos abertos, os detalhados e ricos cenários criados em computação gráfica, os incríveis efeitos visuais, a trilha sonora, que mistura suaves canções celtas e temas que reforçam a ação, o trabalho físico intenso e preciso dos dublês.
A seqüência final, em que Bilbo volta a sua casa e tem uma surpresa – ninguém contava com seu retorno, serve apenas para introduzir um pouco de cor e humor a uma história até aí cinzenta e violenta. E lembrar que, na verdade, é só o começo de outra saga, que todos conhecemos muito bem.
Por Gilson Carvalho
Nota 9
Ficha Técnica
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (The Hobbit: The Battle of the Five Armies) –144  min.
EUA/Nova Zelândia – 2014
Direção: Peter Jackson
Roteiro: Fran Walsh, Philippa Boyens, Peter Jackson, Guillermo del Toro, baseado na obra de J.R.R. Tolkien
Elenco: Ian McKellen, Martin Freeman, Richard Armitage, Luke Evans, Evangeline Lilly, Lee Pace, Ken Stott,  James Nesbitt, Aidan Turner, Dean O’Gorman, Graham McTavish, Orlando Bloom, Cate Blanchet, Christopher Lee, Manu Bennet, Benedict Cumberbatch
Estreia: 11/12

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top