0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "O Crítico"
O Crítico, comédia dramática argentina escrita e dirigida por Hernán Guerschuny,  apresenta todos os estereótipos imagináveis sobre esse profissional tão controverso quanto árbitro de futebol. É engraçada, irônica, terna - e o melhor de tudo, não se leva a sério. 

O filme começa com o protagonista pensando - em francês. Em um determinado momento, ele próprio se questiona por que pensa naquela língua. Ele mesmo se responde: em espanhol soaria artificial. O crítico de cinema Victor Tellez (Rafael Spregelburd) é pessimista, fechado, intolerante, solitário. Mais uma vez ele se autodiagnostica: é o mal do cinema; ou melhor, maladie du cinéma, já que ele só se compreende em francês. 

Sua sobrinha, a adolescente Ágatha (Telma Crisanti), que trabalha numa videolocadora e experimenta sua primeira paixão, até tenta convencê-lo de que nem só de Nouvelle Vague vive um cinéfilo e cita cenas emblemáticas de produções como Notting Hill e Uma Linda Mulher, entre outras, mas ele se mantém fiel a Goddard, Truffaut e cia. e insiste em ignorar praticamente todo o resto. Ele chega a afirmar que o cinema morreu. 


Irônico e mordaz, "O Crítico" é uma bela homenagem ao cinema


Poster do filme "O Crítico"Entre cabines de imprensa e cafés com colegas jornalistas, em que sempre falam mal de todo e qualquer filme, Victor tenta encontrar um apartamento, tarefa que parece impossível na Buenos Aires de hoje. No mais promissor deles, conhece Sofia (Dolores Fonzi), uma bela espanhola que transforma sua vida naquilo que ele mais despreza na vida: comédia romântica. Ele passa a ver o mundo em câmera lenta, a ouvir canções melosas, até surgem fotos de artifício quando se envolve com a moça, que além de atraente, é misteriosa - como deve ser

O original roteiro de O Crítico tem limites, obviamente. A primeira parte, bastante instigante, dá lugar a um segundo ato nem tanto. Parece que Victor tem razão: felicidade deixa a vida chata. Mas não é bem assim. O filme se coloca em uma armadilha; acaba se tornando aquilo que aparentemente critica: superficial, estereotipado demais.  O problema é que à exceção do protagonista, os personagens não são aprofundados, só servindo para ilustrar as ideias do alter-ego do realizador. 

De positivo, a produção tem a habilidade de denunciar a artificialidade do cinema e, logo a seguir, trazer o espectador de volta à fruição da trama. Além disso, há momentos muito divertidos, como o do curta experimental taiwanês, a performance de dança contemporânea e os garçons do café frequentado por ele o ridicularizando quando ele finalmente cede ao amor. Os atores são excelentes, principalmente Spregelburd, que expressa perfeitamente cada estado de espírito do complexo personagem. No final, o filme deve ser encarado como uma bela e despretensiosa homenagem ao cinema.  

Por Gilson Carvalho

Nota 7,5


Ficha Técnica

O Crítico (El Crítico) – 98 min.
Argentina – 2014
Diretor: Hernán Guerschuny
Roteiro: Hernán Guerschuny
Elenco: Rafael Spregelburd, Dolores Fonzi, Bianca Lewin, Ana Katz, Telma Crisanti, Ignacio Rogers, Eduardo Iáconno, Marta Paccamicci

Estreia 25/12

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top