0


Compartilhe este conteúdo |


Entrevista coletiva "Tim Maia"
Três atores, dois personagens. Cauã ReymondBabu Santana e Robson Nunes participaram de uma entrevista coletiva nesta terça-feira, 28 de outubro, num hotel da Zona Sul do Rio de Janeiro, para divulgar Tim Maia, cinebiografia do cantor.  Dirigido por Mauro Lima, o filme tem ainda no elenco Alinne Morais, Laila Zaid, Luis Lobianco e Valdineia Soriano, e estreia no dia 30 de outubro.

No filme, baseado em livro de Nélson Motta, Cauã interpreta o melhor amigo e narrador da trajetória de Tim, enquanto Babu e Robson têm o privilegio de incorporar o polêmico e amado artista, nascido em 1942 na Tijuca, Rio de janeiro e falecido em 1998 aos 55 anos e autor de sucessos inesquecíveis como  PrimaveraAzul da Cor do MarDescobridor dos Sete Mares, entre muitos outros.

Num clima descontraído, os atores declararam admiração por Tim e a felicidade de protagonizar a produção. Cauã, que também é produtor associado do filme, explicou que o músico Fábio, seu personagem, é uma espécie de amálgama de vários amigos do cantor e, através da narração, tem a função de ligar as diversas fases de sua vida.  Para ele, o mais gratificante do trabalho foi ver o entrosamento entre Robson e Babu, que criaram uma unidade entre os duas interpretações, criando um único Tim.

Ele disse que achava que conhecia a obra de Tim mas, depois do filme, descobriu muito mais coisas do que imaginava. “Percebi que só conhecia os hits, mas a música dele é toda genial. Por isso decidi virar produtor, para ajudar a viabilizar o filme, para que todos possam conhecer melhor a vida de Tim.”

Robson, que faz Tim jovem, disse que além de ler e ver tudo que podia sobre o artista, estudou bateria, guitarra,  bateria passou um mês antes do início das filmagens ensaiando com Babu e a preparadora de elenco para encontrar o tom certo e garantir que surgisse apenas um Tim. Um momento particularmente feliz foi a filmagem em Nova York, onde descobriu que nossos técnicos não devem nada aos americanos. 

Para Babu, cantar e tocar um instrumento também foi um grande desafio, já que sua experiência com canto limitava-se a participação em coros em musicais com o grupo Nós do Morro.  Extremamente feliz com o trabalho, que exigiu uma caracterização bastante complicada, incluindo uma maquiagem que durava até uma hora e meia, ele não quis revelar todos os truques que usou para ter o corpo avantajado de Tim.  “Não quero estragar a magia do cinema. Deixo para a imaginação do público tentar descobrir.”  


O Cinema está na Rede e também no TwitterO Cinema está na Rede e também no Facebook



Postar um comentário

 
Top