0

Compartilhe este conteúdo |

 
Cena do filme "Se Eu Ficar"Romances juvenis com ingredientes trágicos fazem sucesso há muito tempo. A mais recente produção do gênero, Se Eu Ficar, de R.J. Cutler, tenta inserir questões mais profundas como o livre arbítrio, a importância de se estar preparado para as conseqüências das suas  escolhas e a possibilidade de conciliação de dois mundos distintos, mas o que fica mesmo é a história de amor cheia de açúcar e um elemento sobrenatural.

Baseado no romance best seller de Gayle Forman, Se Eu Ficar narra o relacionamento de Mia (Chloë Grace Moretz), uma bela musicista clássica, apaixonada por seu instrumento, o violencelo e por Beethoven, e Adam (Jamie Blackley), jovem roqueiro em ascensão, que se apaixona à primeira vista por ela. Tudo estaria perfeito, se a menina não sofresse um acidente que a deixaria entre a vida e a morte, tendo que decidir se, após perder toda a família, vale a pena ficar neste mundo ou se é melhor partir. Isso tendo visão de tudo o que acontece ao redor, como um fantasma que ninguém consegue ver.

"Se Eu Ficar": romance juvenil recheado de questões existenciais


No roteiro construído em flashbacks por Shauna Cross, a relação entre os dois jovens é revelada aos poucos, mantendo assim o interesse na trama. O encontro casual na escola, os primeiros concertos da banda de Adam, a audição de Mia para a prestigiosa escola de música Julliard, que poderá afastar os dois apaixonados e os conflitos gerados por essa possibilidade vão criando uma história entre os dois, que seria banal não houvesse o ponto de virada trágico, que por isso, funciona. A excelente produção, a boa trilha sonora e as belas paisagens nevadas do estado do Oregon, noroeste dos Estados Unidos, também colaboram para o resultado acima da média. 

Há ótimas sequências, como a abertura, em que a família se prepara para o fatídico passeio que iria mudar suas vidas, e a jam session em torno da fogueira, em que os dois mundos – o da música clássica e o do rock,  finalmente se harmonizam. As discussões adolescentes sobre quem vai abrir mão de seus sonhos em função do outro são menos interessantes, embora necessárias para a narrativa.

Com apenas 17 anos, Chloë Grace Moretz já demonstra bastante segurança.  Além da beleza, possui talento suficiente para interpretar a mocinha doce que passa por momentos terríveis sem cair na armadilha do melodrama.  Por outro lado, se não faz feio, Jamie Blackely, seu par romântico, fica um pouco eclipsado pela jovem estrela. Já Mireille Enos e Joshua Leonard, pai e mãe de Mia, respectivamente, injetam uma energia genuína e estabelecem uma cumplicidade genuína entre si e os meninos. O veterano Stacy Keach faz uma bela participação como o avô da menina, protagonizando uma cena dramática e emocionante no final.  

Por Gilson Carvalho

Nota 7,5

  
Ficha Técnica

Se Eu Ficar (If I Stay) – min.
EUA – 2014
Direção: R.J. Cutler
Roteiro: Shauna Cross, baseado no romance de Gayle Forman
Elenco: Chloë Grace Moretz, Jamie Blackley, Mireille Enos, Joshua Leonard, Stacy Keach

Estreia 04/08

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top