0

Compartilhe este conteúdo |


Cena  do filme "O Doador de Memórias"Adaptação do romance de Lois Lowry, O Doador de Memória, de Phillipe Noyce se assemelha em seu enredo a Divergente e Jogos Vorazes, recentes sucessos, principalmente entre os jovens. Como eles, se trata de um drama de ficção científica que descreve um futuro distópico, em que um indivíduo não se adapta à ordem vigente e tem de enfrentar enormes barreiras para promover mudanças. Diferente daquelas produções, porém, está baseada na discussão filosófica a respeito do papel do Estado no controle do bem-estar da população.

Perguntas como “Vale a pena sacrificar emoções em troca de harmonia social?” ,“É positivo não sentir amor, carinho, amizade em nome da segurança?” surgem ao longo da narrativa que, no entanto, não explora esses dilemas de modo contundente. Como também não investe na ação, resulta em um filme até certo ponto morno. 

"O Doador de Memórias": sci-fi morno com preocupações filosóficas


No futuro, não há mais dor, guerras ou fome. Tudo - do clima ao trabalho, da alimentação às relações sociais, é controlado pelo Estado. Todos os habitantes têm sua atuação profissional determinada por suas aptidões naturais, observadas atentamente ao longo de sua vida. Os sentimentos são suprimidos através de drogas injetadas diariamente. Ao completar 18 anos, têm seu destino revelado em uma grande cerimônia pública, comandada pela Chefe Elder.

Poster do filme "O Doador de Memórias"Um jovem, Jonas (Brenton Thwaites) se sente deslocado e ao se aproximar da idade adulta, descobre que terá um papel importante: será o depositário das lembranças ancestrais de toda a humanidade. Para isso deverá ser treinado pelo doador (Jeff Bridges), que já havia fracassado com um receptor anterior. Ao aprender o que é tristeza, alegria, dor, amor, guerra, conquistas e todas as sensações antes vedadas a ele e todos os outros, começa a questionar a validade do sistema e tenta convencer seus amigos de infância Asher (Cameron Monaghan) e Fiona (Odeya Rush), por quem sente uma atração, a se juntarem a ele.

Com dois grandes atores no elenco – Jeff Bridges, que interpreta o papel-título e Meryl Streep, a principal dirigente da comunidade, o filme é focado no personagem vivido por Brenton Thwaites que, embora dê conta do recado, não chega a imprimir uma personalidade marcante, assim como o restante do elenco, que inclui Katie Holmes e Alexander Skarsgard, os pais de Jonas. 

Fotografia inicialmente em preto-e-branco, para representar a insipidez do mundo, e posteriormente em cores, à medida que Jonas vai mudando sua percepção é uma opção simplista, ainda que funcional. Do mesmo modo, a cenografia, vestuário e direção de arte seguem a ideia de uma sociedade minimalista, com poucos detalhes, sendo coerente com a visão do diretor, mas não chega a impressionar. No final ainda se apela para uma solução apressada e tendo toda a ação evitada durante todo o filme nos minutos finais. 

Por Gilson Carvalho

Nota 6



Ficha Técnica

O Doador de Memórias (The Giver) - 97 min.

EUA – 2014
Diretor: Phillipe Noyce
Roteiro: Robert B. Weirli, baseado em obra de Lois Lowry
Elenco: Brenton Thwaites, Jeff Bridges, Meryl Streep, Katie Holmes, Alexander Skarsgard, Odeya Rush, Cameron Monaghan, Taylor Swift

Estreia: 11/09

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook



Postar um comentário

 
Top