1

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "O Candidato Honesto"Em tempos de eleições presidenciais, um filme que discute corrupção é mais do que bem-vindo. Porém, se a discussão vem apenas em forma de sátira, não se aprofundando no assunto, pode perder o efeito. É isso que acontece em O Candidato Honesto, que traz Leandro Hassum no papel-título. 

A comédia, que estréia em todo o Brasil no dia 2 de outubro – apenas três dias antes do pleito, conta a história de José Ernesto Praxedes (Hassum), ex-líder sindical, político corrupto e candidato à presidência da República que, por causa de uma mandinga da avó, que o criou como um rapaz trabalhador e responsável, não consegue mais dizer mentiras. Sua eleição, dada como certa, começa a perigar.

Convocado a se explicar diante de Comissão Parlamentar de Inquérito – a “CPI da Mesadinha”, em Brasília, ele assume que rouba dinheiro público e ainda dedura vários outros colegas, como o líder da bancada evangélica, como Mateus Floriano (Luis Lobianco). A solução é isolá-lo em sua mansão em Búzios. Em meio ao descrédito total -  nem sua mulher (Flávia Garrafa)  e filhos confiam mais nele, só uma pessoa continua acreditando nele – a repórter de TV Amanda (Luiza Valdetaro), que tenta entrevistá-lo para descobrir a verdade e, quem saber, limpar sua barra. 

Clichês e sátiras fáceis esvaziam intenção crítica de "O Candidato Honesto"


Poster do filme "O Candidato Honesto"Terceira colaboração entre Hassum, Roberto Santucci e Paulo Cursino respectivamente diretor e autor das comédias  Até que a Sorte nos Separe e  Até que a Sorte nos Separe 2, a fórmula parece já dar sinais de desgaste. Ator extremamente talentoso, Hassum parece que já não precisa se esforçar para interpretar personagens parecidos. A única novidade nessa produção não chega a ser animadora - suas caras e bocas e maneirismos remetem demasiadamente à performance de Jim Carrey em O Mentiroso.

Com a trama toda centrada no personagem principal, a maioria dos outros atores praticamente faz pouco mais do que uma participação. A exceção é Victor Leal, que interpreta o assessor do deputado, seguro e convincente e Luiza Valdetaro, que começa tímida e vai crescendo ao longo da narrativa. 

O roteiro também não ajuda muito, enfileirando clichês sobre o mundo político que até uma criança sabe repetir. Divertido mesmo é identificar as referências aos políticos reais, do passado e do presente, como o político que perdeu uma parte do corpo em acidente de trabalho, a primeira dama que tem as gengivas aparentes, o No final, tem até uma mensagem “séria”, que apenas demonstra a falta de densidade do longa.

Por Gilson Carvalho

Nota 4,5



Ficha Técnica

O Candidato Honesto – 90 min.
Brasil – 2104
Direção: Roberto Santucci
Roteiro: Paulo Cursino
Elenco: Leandro Hassum, Laura Valdetaro, Victor Leal, Flávia Garrafa,  Luiz Lobianco, Júlia Rabello, Flávio Galvão, Prazeres Barbosa, Henri Pagnoncelli, Antonio Pedro


Estreia 02/10. 

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

  1. Nada se cria, tudo se copia. Frase que cai como uma luva pra essa versão brasileira do filme O Mentiroso. No lugar do filho é a avó. A única diferença é sim
    o ator onde o Sr Hassum faz sempre o mesmo personagem pra qualquer filme e nem se compara a Jim Carrey. Lamentável. Gente vamos criar por favor!!

    ResponderExcluir

 
Top