0


Compartilhe este conteúdo |

Cena do filme "Walt nos Bastidores de Mary Poppins"
Um dos mais célebres filmes dos Estúdios Disney, Mary Poppins não foi uma produção fácil: demorou mais de 20 anos para ser feito. Isso porque a criadora da adorável babá receava vê-la desfigurada ao ser transporta para o cinema, o que exigiu muito empenho do próprio Walt Disney para convencê-la a ceder os direitos autorais.

Walt nos Bastidores de Mary Poppins conta exatamente isso: como P.L.Travers (Emma Thompson) foi convencida a colaborar com a criação do musical que receberia 5 Oscar em 1964. Como era um projeto especial para Walt Disney (Tom Hanks), já que era a história preferida de suas filhas, ele permitiu que ela interferisse em tudo para garantir que o filme saísse exatamente do jeito que a autora desejasse.

"Walt nos Bastidores de Mary Poppins": trauma e dor na origem de um musical icônico



A história começa em 1906, no interior da Austrália, onde a pequena Ginty (Annie Rose Buckley) vive em um mundo de sonhos e fantasias, estimulada por seu pai, o carinhoso mas alcoólatra Travers Goff (Colin Farrel). Com sua mãe Margaret (Ruth Wilson) e duas irmãs menores, vê a vida da família desmoronar devido à incapacidade do pai em vencer o vício e manter o emprego.

Poster do filme "Walt nos Bastidores de Mary Poppins"Um salto de 55 anos e temos a relutante P. L. Travers (nome artístico de  Helen Goff),  acossada por problemas financeiros, se vendo obrigada a negociar com Walt Disney a adaptação de Mary Poppins. Para isso, voa a Los Angeles onde encontra uma dupla de compositores, os irmãos Robert e Richard Sherman (B.J. Novak e Jason Schwartzman, respectivamente), com quem deve colaborar para a concretização do projeto.

O mais interessante em Walt nos Bastidores de Mary Poppins é ver o processo de criação de um filme icônico, ainda que de modo ficcional. As tentativas e erros, as boas ideias que surgem aparentemente do nada, a alegria ao se chegar a um resultado satisfatório, a escolha do elenco, tudo encanta.

Capitaneada por uma dupla de atores do primeiro time, como Tom Hanks e Emma Thompson, a produção funciona também porque o elenco secundário é de primeira: Giamatti, Novak, Schwartzman, Farrel e todos os outros, cada um tem seu momento. A reconstituição de época é outro ponto alto, assim como a trilha musical, de Thomas Newman, que dialoga com aquela da comédia em que trabalham, a inesquecível Mary Poppins.

As narrativas paralelas, mostrando ora a infância, ora a fase adulta da escritora, numa tentativa de explicar seus traumas e limitações, tornam o filme longo e um pouco cansativo. A sensação final, no entanto, é de que participamos intensamente daquele mundo mágico.

Por Gílson Carvalho

Nota 8



Ficha Técnica

Walt nos Bastidores de Mary Poppin (Saving Mr. Banks) – 125 min.
EUA/Reino Unido/Austrália – 2014
Direção: John Lee Hancock
Roteiro: Kelly Marcel e Sue Smith
Elenco: Emma Thompson, Tom Hanks, Paul Giamatti, B. J. Novak, Jason Schwartzman,  Bradley Whitford, Annie Rose Buckley, Colin Farrel, Ruth Wilson, Rachel Griffiths.

Estreia: 07/03

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top