0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Philomena"
Indicado a 4 Oscar, incluindo melhor filme, Philomena endossa a dificuldade em se transformar uma pauta jornalística em notícia. Baseado em eventos reais, o jornalista político desempregado Martin (Steve Coogan, que divide o roteiro com Jeff Pope) tenta relatar a história da personagem título, uma senhora católica irlandesa (Judi Dench, concorre a melhor atriz) que tem o seu filho vendido por freiras no orfanato em que vivia durante sua juventude (interpretada nessa fase por Sophie Kennedy Clark, de Ninfomaníaca - Volume I).

Para ele, a notícia recupera a sua reputação perdida após se envolver em um escândalo; no caso dela, um desejo inaudito para reencontrar o seu filho depois de 50 anos. Martin, vaidoso em seu ofício e Philomena, dotada de uma humildade ímpar, são duas pessoas de personalidades opostas cujo vínculo se estabelece exclusivamente para ambos alcançarem os seus objetivos.


Philomena”: jornalismo e igreja católica, alvos de crítica com bom humor


Entre comédia e drama, encontros e desencontros, a angulação da reportagem – e consequentemente da trama fílmica- concentra-se na venda de bebês irlandeses para aristocratas vindo dos Estados Unidos, e a revelação desta informação cai no gosto de um jornalista especializado em política. Mas Philomena, ora ingênua, ora bastante manhosa, não se decide se quer que a história de seu filho seja publicada. 

Poster do filme "Philomena"

Martin faz um tipo de jornalista que o cinema gosta de explorar. Em Philomena este é um terreno fértil para criar alguns contrapontos éticos da profissão, suscitar uma discussão sobre a relação repórter e editor, valorizar a curiosidade do repórter e atentar ao temperamento ansioso do profissional; sempre posto como inquisidor e nunca alguém que esteja em frente ao entrevistado para se fazer uma pergunta. “Estou com raiva”, diz o personagem de Steven Coogan, em determinado momento do filme, diante de uma afável Philomena.

Sem cair no clichê, esta exploração concilia a química dos personagens, construídos a partir de um texto conciso e impactante, aguçada por uma trilha sonora que entra nos momentos capitais da trama, dramatizando-os, sem perder o humor afiado. Se Philomena pudesse comentar sobre o filme, seria provável escutar a seguinte frase: “Um em um milhão”.

Por: Tiago Canavarros

Nota: 8



Ficha Técnica

Philomena (Philomena)- 98 min

Reino Unido, Estados Unidos e França – 2013
Direção: Stephen Frears
Roteiro: Steve Coogan e Jeff Pope
Elenco: Judi Dench, Steve Coogan e Sophie Kennedy Clark

Estreia: 14/02


Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top