0

Compartilhe este conteúdo |

Cena do filme "A Menina Que Roubava Livros"A Menina Que Roubava Livros, drama baseado no best-seller mundial de autoria do australiano Markus Zusak, conta a história de Liesel Memiger (Sophie Nélisse), que se refugia na literatura para suportar os horrores da Segunda Guerra Mundial.

Sozinha após a mãe ser mandada a um campo de concentração sob a acusação de ser comunista e seu irmão menor morrer, Liesel é adotada pelo carinhoso Hans Hubberman (Geoffrey Rush) e sua mulher, a severa Rosa (Emily Watson).  No enterro do irmão, Liesel se apossa de seu primeiro livro, O Manual do Coveiro.

Na fictícia vila de Moching, Liesel é mandada para a escola, onde é hostilizada por não saber ler, mas aprende a se defender com a ajuda de Rudy (Nico Liersch), um menino alegre e fã incondicional do atleta negro americano Jesse Owens. Aos poucos, vai se adaptando à nova vida: Hans a ensina a ler e ela passa a “roubar” todos os livros que pode, mas tudo muda quando chega à casa o jovem judeu Max (Ben Schnetzer), cujo pai salvou Hans na Primeira Guerra Mundial. Escondido no porão, ele estimula Liesel a descrever o mundo que ele não pode ver, experimentando desse modo um pouco de liberdade através dos olhos da amiga.  

"A Menina Que Roubava Livros": fábula edificante e limpa para falar de guerra


Poster do filme "A Menina Que Roubava Livros"O roteiro, simples e linear, reconstitui em detalhes os anos anteriores à guerra, com os habitantes da pequena cidade sendo pouco a pouco envolvidos no clima de crescente horror trazido pela tragédia que se anuncia. O maior destaque é a protagonista, a jovem canadense Sophie Nélisse, que com graça e talento conduz a narrativa, transmitindo com eficiência as mudanças que a personagem vai vivendo. Os extraordinários Geoffrey Rush e Emily Watson dão mais peso ao longa e são responsáveis pelos momentos mais dramáticos e engraçados. 

O problema de A Menina Que Roubava Livros é que tudo é transmitido com excessiva doçura e limpeza. Apesar de pobres, os moradores da vila parecem arrumados demais para quem enfrenta uma guerra. Impossível não se apaixonar pela linda Liesel, cujos cachinhos dourados nunca saem do lugar.  Para isso, colabora o trabalho do veterano  John Williams. Usual colaborador de Steven Spielberg, o multipremiado compositor, mais uma vez indicado ao Oscar, produziu uma trilha adocicada e melodramática. Narrado pela morte, que com uma voz cálida e envolvente nos lembra que todos vamos morrer, A Menina Que Roubava Livros é uma fábula edificante, em que a guerra e a morte parecem detalhes.   

Por Gilson Carvalho

Nota 6,5


Ficha Técnica

A Menina que Roubava Livros (The Book Thief) –  131 min.
EUA/Alemanha - 2014
Direção: Brian Percival
Roteiro: Michael Petroni, baseado no romance de Markus Zusak Elenco: Sophie Nélisse, Geoffrey Rush, Emily Watson, Ben Schnetzer, Nico Liersch, Barbara Auer

Estreia: 31/01



O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top