0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Álbum de Família"
Quando olhamos de perto, um olhar atento, enxergamos que toda família possui seus problemas, os quais, se fosse possível, deixaríamos embaixo do tapete para nunca vir à tona. Mas não é isso o quê acontece no título, Álbum de Família. No drama que traz um elenco de respeito (Julia Roberts, Meryl Streep, Chris Cooper, Juliette Lewis, Ewan McGregor entre outros), a família Weston se reune após o suicídio do patriarca (Sam Shepard) e logo, segredos, frutos de rancores e arrependimentos passados emergem para uma “lavagem de roupa suja”.

O filme se assemelha e muito com Deus da Carnificina (de Polanski), sobretudo pelos dois longas metragens serem uma adaptação do teatro ao cinema, e ainda conter um diálogo ácido, politicamente incorreto e possuidor de um humor sarcástico. A única diferença estabelecida é a motivação do conflito, ademais, o assunto tangente é a quebra do verniz social entre os personagens.

 “Álbum de Família”: crônica dramática com algumas surpresas, mas vistas por um único ponto de vista.

  
Na trama, Barbara (Julia Roberts) e Bill Weston (Ewan McGregor) não estão bem como aparentam estar no relacionamento, já a filha (Abgail Breslin, de Pequena Miss Sunshine) esconde dos pais que fuma maconha, enquanto a irmã, por sua vez, Ivy Weston (Julianne Nicholson) omite da família um relacionamento com seu primo de primeiro grau (Benedict Cumberbatch); e aos poucos o estalar do verniz se desdobra.

Poster do filme "Álbum de Família"
Em meio a este turbilhão de omissões que ocorrem ao longo da trama, encontra-se no eixo central a tresloucada, amargurada, ranzinza e viciada em remédios Violet Weston (Meryl Streep, como de praxe - mais uma ótima atuação). Ela, apesar de debilitada pelo câncer na boca e pela quantidade de cápsulas ingerida em um dia, representa os olhos e ouvidos de toda a família; brigando contra todos, e ainda assim consegue ser carismática em algumas cenas extravagantemente tragicômicas.  

Entretanto, o acerto é o erro. O fascínio da personagem de Meryl Streep acaba por sugar toda a trama para si, e aferindo-se do título em português, este álbum possui apenas um retrato, uma foto, dando margem apenas a uma interpretação, e sem qualquer anotação dúbia por trás dela ou um desfoque na imagem representativa.

No original, August: Osage County (Agosto: Condado de Osage) é um título mais sincero, no entanto, não fisga a possível audiência. A crônica dirigida por John Wells - que também a dirigiu em peça de teatro - traça um raio-x na família e uma pequena vistoria no município de musica country e caloroso, localizado em Oklahoma.

O difícil está em dizer se o calor das discussões familiares supera a temperatura escaldante do pequeno município de Osage, no Estado de Oklahoma – Estados Unidos. 
Em Álbum de Família, o diagnóstico é um só, mas é sempre bom ver um elenco de rostos conhecidos funcionando tão bem, em harmonia. Ao menos ao que se refere às pessoas. Já aos personagens...
  
Nota: 6,5

  

Ficha Técnica

Álbum de Família (August: Osage County)- 121 min
Estados Unidos – 2013
Direção: John Wells
Roteiro: Tracy Letts
Elenco: Meryl Streep, Julia Roberts, Chris Cooper, Ewan McGregor, Margo Martindale, Sam Shepard, Dermot Mulroney, Abgail Breslin e Juliette Lewis


Estreia: 27/12


O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top