0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Laura"
O documentário Laura apresenta as digressões de uma pessoa comum de 57 anos de idade, que após o término de seu casamento vê o seu “castelo” se desmoronar. A partir daí, ela tenta uma nova vida, deixa o Brasil para viver casualmente em Nova York, supostamente sustentada pela mãe, sem compromisso com metas e planejamentos, a não ser acompanhar a vida das celebridades hollywoodianas através da televisão e leituras de revistas do gênero e notadamente a sua atividade predileta, ir ás festas exclusivas e badaladas, onde estão os seus ídolos.

Durante estes eventos, a câmera do diretor Fellipe Barbosa faz o registro das peripécias da imigrante argentino-brasileira penetrando no mundo glamouroso de Clive Owen, Nicole Kidman, Julia Roberts e Brad Pitt entre outros. E fora de todo o glamour que Laura busca, o documentário revela as mazelas de uma personalidade excêntrica e a sua situação de baixa renda, a qual ela faz questão de coloca-las por debaixo do tapete - o qual não é vermelho.

Poster do filme "Laura"

Sob o mote da personagem título, “Laura” não possui carisma para sustentar o registro narrativo


 Obviamente, o documentário performático mira na personagem título para sustentar a trama; entretanto, Laura não possui carisma algum. Deslumbrada, efusiva, desbocada e barraqueira, a figura central não desperta admiração. Longe de entusiasmar, Laura se contradiz o tempo todo em frases “Amo o mundo todo, mas antes de todos, sou eu em primeiro lugar” e “Não existe o amor”. Um paradoxo em pessoa, mas sem atração, ao contrário, repulsiva. Em close-up, ela diz ser feliz, mas os olhos lacrimejam em uma imensidão soturna em direção ao vazio das ruas nova iorquinas.

Em  toda narrativa fílmica de  Laura, desde sua epígrafe ao epílogo, há um tentativa frustrada de um exercício metalinguístico no fazer um documentário falando e comentando sobre o mesmo e corroborada na interação - ora amistosa ora hostil entre o diretor (que é amigo dela) e Laura - que não se fixa em uma direção pertinente em momento algum.


Nota: 4,5



Laura – 78 min
Brasil, Estados Unidos – 2011
Direção: Fellipe Barbosa
Roteiro: Karen Sztajnberg, Lucas Paraizo
Elenco: Laura, Fellipe Barbosa 

Estreia: 01/11

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top