0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Casa da Mãe Joana 2"
Casa da Mãe Joana 2, continuação do longa metragem de Hugo Carvana de 2008 traz de volta as falcatruas dos três amigos inseparáveis, PR (Paulo Betti), Juca (José Wilker) e Montanha (Antônio Pedro). Sem maiores novidades em relação ao primeiro, a comédia macia percorre o mesmo caminho, isto é, o verbo “trabalhar” continua fora do dicionário do trio, o que transparece um fascínio do diretor em relação aos personagens trambiqueiros, em busca de uma vida fácil.
  
Sem a menor pretensão de ser uma comédia a ser levada à séria, a identificação assumida de uma mistura de pornochanchada com cinema “pastelão”, é o grande acerto de Casa da Mãe Joana 2, que, com o ganho de mais personagens idênticos ao trio principal, destaca-se a deslumbrante aparição, mesmo que breve, da a atriz Carmem Verônica, a ex-vedete brasileira nos 1950. No papel de Madame Pedregal, uma viúva abastada, Carmem é o ponto de virada no roteiro de Paul Halm, quando, bem como no filme antecessor, PR (Paulo Betti) tenta dar o “golpe do baú” em mais uma viúva idosa. O resultado, é claro, é trágico e de enormes proporções.

"Casa da Mãe Joana 2", uma balbúrdia despretensiosa que arranca risadas


Poster do filme "Casa da Mãe Joana 2"Quanto ao núcleo fantasmagórico, o filme tende a assumir de vez o ridículo proposital, com as aparições “non-sense” de Maria Antonieta (Fabiana Karla) e o seu súdito Zazzie (Caike Luna), um fantasma gay a quem se apaixona profundamente por Juca, para sua infelicidade. Tais personagens substituem as aparições da mãe de PR e a filha de Juca do primeiro filme, que simplesmente sucumbem nesta continuação, sem apresentar menor satisfação.

Mas, o propósito é outro em Casa da Mãe Joana 2, tal troca não invalida a trama humorística. Ela serve como desculpa para criação de uma nova narrativa. Os arquétipos são os mesmos, entretanto, resilientes, mantendo o nível de atenção do público constantemente, garantindo algumas boas gargalhadas, despretensiosas, e dotado de um grato epílogo, criativo, fugindo ao padrão do longa. Já vimos este filme antes, mas mesmo assim, vale a pena ver de novo.


Nota: 5,5


Casa da Mãe Joana 2- 90 min
Brasil– 2013
Direção: Hugo Carvana
Roteiro: Paulo Halm
Elenco: Paulo Betti, José Wilker, Betty Faria, Antônio Pedro, Carmem Verônica, Juliana Paes


Estreia06/09


O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top