0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "A Espuma dos Dias"A Espuma dos Dias, de Michel Gondry é uma história de amor clássica, daquelas que começam com paixão à primeira vista, se confirma como o encontro de duas almas gêmeas, até que a vida impõe obstáculos enormes. É contada, porém, de modo não convencional, como o romance em que é baseado, de autoria de Boris Vian, considerado inadaptável por sua narrativa surrealista.

Colin (Romain Duris) é um homem rico e entusiasta de inovações tecnológicas, como um pianocktail, em que os drinques são preparados de acordo com as notas tocadas. Também tem um cozinheiro, Nicolas (Omar Sy), que dispõe de utensílios jamais vistos em outras cozinhas, com os quais produz pratos mais do que exóticos.  Seu melhor amigo, Chick (Gad Elmaleh), por sua vez, é alucinado pela obra de um intelectual chamado Jean-Sol Patre (Philippe Torreton) e faz qualquer coisa para possuir objetos que tenham a ver com ele.

Em uma festa conhece Chloé (Audrey Tatou), que tem o mesmo nome da canção de Duke Ellington que ele adora. Iniciam um namoro cheio de belas surpresas e momentos agradáveis. Casam-se, mas ela fica doente: uma flor cresce em seu pulmão direito e ele precisa trabalhar para pagar o dispendioso tratamento.

"A Espuma dos Dias": história de amor clássica contada de forma surrealista


Poster do filme "A Espuma dos Dias"
Dois dos nomes mais conhecidos do cinema francês atual, Duris e Tatou parecem se divertir ao desempenhar os excêntricos personagens, principalmente na primeira parte. Essa coesão, aliás, é visível em todo o elenco. O grande destaque, porém, é a direção de arte, responsável por cenários e objetos bizarros, que criam uma estética estranha, onírica, às vezes deliciosamente infantil.

Por outro lado, em vários momentos os aspectos visuais monopolizam a atenção, deixando a narração em segundo plano.  O excesso de informação, às vezes, torna a recepção difícil. Se no começo a falta de amarração é disfarçada pelos elementos decorativos, no final se torna um pouco difícil ignorar esse vazio. De qualquer modo, a inventividade torna essa produção extremamente diversa do que geralmente se vê, e só isso já a torna interessante.

Por Gilson Carvalho

Nota 7,5



Ficha Técnica

A Espuma dos Dias (L’Ecume des Jours) –  125 min.
França/Bélgica - 2013
Direção: Michel Gondry
Roteiro: Luc Bossi, baseado no romance de Boris Vian
Elenco: Romain Duris, Audrey Tatou, Gad Elmaleh,  Omar Sy, Aîssa Maîga, Charlotte Lebon,  Sacha Boundo, Philippe Torreton


Estreia 28/06


O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top