0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "O Homem Que Ri"

O Homem que Ri, romance escrito por Victor Hugo em 1869, ganha sua terceira adaptação para o cinema - as outras foram em 1928 e 1966,  pelas mãos do cineasta francês Jean-Pierre Améris, que se vale do drama clássico para  abordar questões muito atuais, como a ditadura da beleza e as diferenças sociais, num filme visualmente caprichado, contando com um dos maiores atores franceses de todos os tempos, Gérard Depardieu.

A história se passa nos anos anteriores à Revolução Francesa, quando a fome atingia a maior parte da população do país. Gwinplaine (Marc-André Grondin), um menino marcado por uma estranha cicatriz no rosto que faz com que pareça estar sempre sorrindo, é abandonado numa praia por seu guardião, que no entanto afirma que voltará para buscá-lo. Sem saber para onde ir debaixo da neve e do frio intenso, o garoto salva da morte um bebê cuja mãe congelou  no meio do campo. Com a menininha  que ele descobre cega no colo, procura ajuda numa aldeia, mas é rejeitado. O único que os acolhe é Ursus (Depardieu), um homem estranho que vive de pequenos golpes, vê na deformidade de Gwinplaine o oportunidade de ganhar algum dinheiro.

"O Homem Que Ri" discute questões  como  ditadura da beleza e diferenças sociais


Causando horror e fascínio ao mesmo tempo, Gwinplaine se torna atração de uma espécie de circo de horrores que viaja de aldeia em aldeia pelo interior da França. A única que não o julga pela aparência é Dea, a menina que ele salvou da morte. Um dia, a duquesa Josiane (Emmanuelle Seigner) assiste ao espetáculo e fica obcecada por Gwinplaine.  Apaixonado por Dea, o rapaz resiste o quanto pode, mas tudo muda quando descobre que é filho de um nobre e herdeiro de uma grande fortuna, o que vai colocar seu amor e lealdade à prova. 

O diretor Jean-Pierre Améris opta por uma abordagem barroquizante da obra, com uma atenção toda especial ao visual. Assim, um dos pontos altos é a direção de arte, com um trabalho minucioso nos cenários e objetos, além de guarda-roupa espetacular, tudo fotografado em tons de cinza, quase chegando ao preto-e-branco, numa estética próxima àquela do realizador norte-americano Tim Burton. 

Subordinando sua concepção a esses fatores, Améris deixou de investir em outros aspectos. Ainda assim, destacam-se os atores, principalmente Depardieu, que depois de quatro décadas de atuação continua tão bom como sempre. Os jovens Grondin e Theret também demonstram talento em papéis difíceis


Por Gilson Carvalho

Nota 8,5




Ficha Técnica

O Homem Que Ri (L'homme Qui Rit)
 - 93 min
França - 2013
Direção: Jean-Pierre Améris
Roteiro: Jean-Pierre Améris, baseado em conto de Victor Hugo
Elenco: Gérard Depardieu, Marc-André Grondin, Christa Theret, Emmanuele Seigner, Arben Bajraktaraj, Swann Arlaud

Estreia 17/05


Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top