0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Meu Pé de Laranja Lima"O filme Meu pé de laranja lima de Marcos Bernstein é uma adaptação cinematográfica do romance homônimo de José Mauro de Vasconcelos, que foi lançado em 1968. O romance já havia sido adaptado anteriormente para televisão, teatro e história em quadrinhos. É a história de um menino chamado Zezé (José Guilherme Ávila), que é muito levado e é o quarto dos cinco filhos de uma família pobre que mora no interior.  O filme se passa durante a primeira infância do menino, quando a mãe sustentava toda a família devido ao desemprego do pai.


Para contar a história de Zezé, Marcos Bernstein optou por um roteiro circular. O filme começa com Zezé já adulto recebendo alguns exemplares da edição do seu livro Meu pé de laranja lima. Ele procura o manuscrito da obra no armário e com seu carro antigo viaja até um cemitério. Segurando o manuscrito, procura por um determinado jazigo até encontrá-lo. Neste momento entramos na história do Zezé criança. 

"Meu Pé de Laranja Lima" narra a infância feliz de um menino do interior


A narrativa cinematográfica é construída a partir do ponto de vista desta criança, que é muito criativa. Para tentar fugir da dureza da sua realidade, muitas vezes insuportável, Zezé cria um mundo imaginário no qual se refugia. O bambuzal é o jardim zoológico, o pé de laranja lima é seu confidente. Montando no seu galho fino, Zezé cavalga num cavalo branco. A amizade com o Manuel Valadares (José de Abreu), o “portuga” que tinha um carro antigo, é um bálsamo na vida de ambos. Zezé oferece a Manoel um mundo de fantasias e criatividade que este nunca imaginou existir. Encantado com a imaginação da criança, o “portuga” lhe dá de presente uma caneta para um dia o menino escrever suas histórias.   O círculo se fecha com o retorno à cena do Zezé adulto no cemitério com sua caneta e um carro antigo, igual ao do “portuga”.

Poster do filme "Meu Pé de Laranja Lima"A estrutura da narrativa fílmica se sustenta basicamente no encadeamento das imagens, não há o recurso da voz over. Isto valoriza o filme na medida em que o distancia do romance caminhando em direção à construção de outra obra, a cinematográfica.  A imagem e o som do filme são manipulados de maneira a refletir o estado de espírito desta criança que, através da sua imaginação, tenta sobreviver no meio de tantas adversidades. Os artifícios de linguagem acompanham a movimentação de Zezé nos seus dois mundos, real e imaginário. 

Segundo Bernstein: “Assim, o tom mais prateado, mais fechado, que acompanha Zezé em suas frustrações diárias, vai dando lugar a um tom sutilmente mais quente, mais carinhoso, nas aventuras de Zezé e em seus encontros com as pessoas que lhe trazem conforto”.  Marcos Bernstein realizou uma tradução entre linguagens primorosa. Ele captou a essência da história de Zezé e a transmitiu numa sequência de imagens que nos comove pela sensibilidade e beleza, além da excelente atuação do menino José Guilherme Ávila.

Por Lena Mendes

Nota 9


Ficha Técnica

Meu Pé de Laranja Lima -  99 min.
Brasil – 2012
Direção: Marcos Bernstein
Roteiro: Marcos Bernstein, Melanie Dimantas, baseados em romance de José Mauro de Vasconcelos
Elenco:  José Guilherme Ávila, José de Abreu, Caco Ciocler, Eduardo Dascar


Estreia: 19/04






O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top