0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "G.I.Joe 2 - A Retaliação"A franquia G. I. Joe, assim como Transformers, claramente segue a lógica da produção de brinquedos e de seu marketing. Assim, o interesse comercial transpassa para o filme,  recriando a universal dicotomia “mocinhos vs bandidos” ; ora Deceptions vs Autobots, ora Joes vs Cobras, uma disputa que nunca irá acabar; sempre trará novos personagens, novos produtos, novos brinquedos. Mas, se encarado como puro entretenimento,  G. I. Joe -  Retaliação,  com as presenças de Dwayne "The Rock" Johnson e Bruce Willis,  parece mais com uma versão divertida e juvenil de Os Mercenários de Sylvester Stallone. 



A eterna disputa bem x mal está no centro de "G I Joe  – Retaliação"


G I Joe  – Retaliação retoma a inacabável disputa entre o esquadrão de elite norte-americano G I Joe e a organização criminosa Cobra. E, pasmem!, a organização tem o criativo objetivo de dominar o mundo. Ao contrário da franquia Transformers, de Michael Bay, G. I. Joe não conseguiu marcar presença na mente das pessoas. Por isso no começo, o filme faz uma retrospectiva, apresentando os personagens. Assim G I Joe 2 – A retaliação mostra que o filme anterior foi totalmente desnecessário e o agente Duke, seu principal protagonista, nesta sequência morre para o personagem de “The Rock” ganhar importância.

Contudo,  apesar deste universo que parece ter saído dos vídeos games, os produtores inusitadamente conversaram com a realidade ao tratar de questões nucleares, novas armas de destruição em massa e a Coréia do Norte. E talvez a mesma admiração dos governantes pelos bizarros planos do Cobra na reunião do desarmamento nuclear, seja a nossa diante dessa iminente guerra nuclear entre EUA e Coréia do Sul e a Coréia do Norte.  Portanto mesmo sendo um filme de ação sem nenhuma pretensão, por uns momentos G. I. Joe – Retaliação nos lembra A Soma de Todos os Medos (filme dirigido por Phil Robinson) 

Poster do filme "G.I.Joe 2 - A Retaliação"
Mas voltando ao entretenimento, o diretor Jon M Chu constantemente dialoga com seu público ao trazer a lógica narrativa das missões dos games de guerra para G I Joe  – Retaliação. Assim o roteiro acompanha o desenvolver dos personagens através das missões completadas por eles. Isso acaba por criar personagens unidimensionais , por exemplo “The Rock” e Bruce Willis atuam mais pelos estereótipos construídos  durante suas carreiras do que como personagens criados para contar essa história. Os cortes de Chu são semelhantes à linguagem digital, sendo rápidos e remetendo a outras mídias, como o vídeo game e a televisão.

Na trilha, o compositor Henry Jackman não foi tão feliz como em X – Men -  Primeira Classe.   Mas os efeitos especiais, as cenas de ação criativas, com suas armas high – tech deixam G I Joe  – Retaliação muito divertido. Portanto, se o espectador está em busca apenas de entreter, sem questões artístico-sociais, o longa irá cumprir essa função, apesar de seus personagens desvanecerem  da memória com o tempo,  e com isso a produtora Hasbro provavelmente terá que relembrá-los novamente.

Por Danilo Zanini

Nota 6,7 


Ficha Técnica

G.I. Joe - A Retaliação (G. I. Joe: Retaliation) - 110 min.
EUA - 2013
Direção: Jon M. Chu
Roteiro:  Rhett ReesePaul Wernick
Elenco: Bruce Willis, Dwayne Johnson, Johnatan Price,  Channing Tatum, Byung-hun Lee, Elodie Yung, D.J. Cotrona

Estreia: 29/03/13



Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top