0

Compartilhe este conteúdo |


Cena do filme "Colegas"

Colegas,  do diretor e roteirista Marcelo Galvão, conta a história de três jovens, que após assistirem a vários filmes americanos, entre eles Thelma e Louise, de Ridley Scott, resolvem durante uma madrugada roubar o carro do professor para “curtir a vida adoidado”. E é nesse ponto que o longa se torna uma grande novidade ao cinema nacional, pois são poucos os filmes brasileiros que exploram essas viagens inusitadas, como se vê em Eurotrip, de Jeff Schaffer ou Se Beber não Case, de Todd Phillips. E o mais criativo, Colegas é protagonizado por jovens com Síndrome de Down.

"Colegas": road movie com estética dos anos 80


A referência estética aThelma e Louise está em toda a obra, a começar pela  ambientação dos anos 80; observem o modelo do carro vermelho do Arlindo (Lima Duarte). O diretor Marcelo Galvão, em tom fantasioso brinca com a cinematografia, e por fim acaba por realizar uma mistura entre a cultura nacional e a norte-americana. Afinal, um dos protagonistas se chama Stallone (Ariel Godenberg). A trilha sonora troca o rock americano pelo nacional Raul Seixas; além de uma das canções ser Asa Branca do saudoso Luis Gonzaga, só que com um detalhe: cantada em inglês.

Como roteirista, Marcelo Galvão talvez fosse condenado por qualquer manual mais ortodoxo, com um roteiro literalmente espaçado, pulando introduções e acontecimentos, e seria proibido de fazer mais filmes com a narração em off de Arlindo. Porém, no caso de Colegas é pura arte; não são muletas,  há o objetivo de representar a liberdade dos seus personagens.

Poster do filme "Colegas"
É difícil comentar a atuação dos atores, mas a impressão que fica é que na verdade os jovens com Síndrome de Down se entregaram àquela narrativa, assim como seus personagens se deixaram levar naquela viagem rumo aos sonhos da vida. Talvez até o diretor Galvão tenha se entregado á memória de seu tio Márcio, ao construir o personagem de mesmo nome interpretado por Breno Viola, e que da mesma forma tem Síndrome de Down.

Com isso a bela trilha sonora de Ed Cortês, e os enquadramentos de Galvão não buscam interferir na realidade do filme, apenas se movimentam lateralmente, não para conduzir o público, mas para contemplar aquela aventura dos jovens fugidos. E no final não importa se o público acredita naquela história, o importante é que acompanha, durante cerca de uma hora e meia, a inocente peripécia de três jovens

Colegas,  além de divertir e arrancar risadas, sem apelar para aquele humor habitual no cinema brasileiro, mostra que sonhos como viajar, conhecer o mar, o amor verdadeiro e voar não são possíveis apenas aos protagonistas com Síndrome de Down, mas a todas as pessoas que de alguma forma irão se reconhecer naqueles três personagens

Por Danilo Zanini

Nota 9,5


Ficha Técnica

Colegas - 99 min.
Brasil - 2012
Direção: Marcelo Galvão
Roteiro: Marcelo Galvão
Elenco: Ariel Goldenberg, Rita Pokk, Breno Viola, Lima Duarte, Rui Unas, Deto Montenegro, Leonardo Miggiorin, Marco Luque, Juliana Didone. 


Estreia: 01/03




Compartilhe este conteúdo |
O Cinema está na Rede e também no Twitter
O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top