0

Compartilhe este conteúdo |

Cena do filme "O Sacrifício"


O Sacrifício é uma adaptação de uma peça teatral chinesa, O órfão da família Zhao. Dirigida por Kaige Chen, realizador de prestígio dentro e fora de seu país,  ganhador, entre outros, da Palma de Ouro em Cannes e indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro por Adeus minha  concubina em 1993, estreia no dia 11 de janeiro, apenas em São Paulo.

O Sacrifício aborda temas como ambição, poder e vingança


O drama épico conta a história da poderosa família Zhao, que domina a China há muitas gerações. Dun Zhao (Guoan Bao) é primeiro ministro e seu filho Shuo Zhao (Wenzhuo Zhao) é general do exército e casado com Zhuang-Ji (Bingbing Fan), filha do imperador. Isso desperta a cobiça e a ira de Tu’an Gu (Xueqi Wang), que ordena o massacre de todos os componentes do clã.

Pouco antes de morrer,  Zhuan-Ji dá a luz a um menino que é salvo pelo médico da família e criado na casa do próprio Tu’an Go, que o adota como um afilhado, sem saber que se trata do herdeiro do seu inimigo. Ao crescer, o órfão planeja uma terrível vingança.

Poster do filme "O Sacrifício"
Como a maioria das produções chinesas que chegam ao ocidente, O Sacrifício tem duas características: a linguagem melodramática e o uso de lutas marciais orientais, estilo popularizado por Bruce Lee nos anos 60 e genericamente chamadas de kung fu.

A opção pelo melodrama faz sentido em uma história que trata de vingança, e as lutas são muito bem coreografadas. Além disso, os cenários, o vestuário, a maquiagem, as centenas de figurantes, tudo é executado de maneira impecável, o que dá a impressão de que a forma é mais importante do que o conteúdo. Isso é reforçado pela utilização, de modo excessivo, de recursos como fade-out e flash-back.

Kaige Chen é um dos mais importantes diretores do seu país


Kaige Chen se tornou mundialmente conhecido em 1993, quando Adeus minha concubina recebeu prêmios em diversos festivais, incluindo a Palma de Ouro em Cannes (empatado com O Piano, de Jame Campion), além de ter sido indicado para o Oscar de melhor filme estrangeiro (vencido pelo espanhol Belle Époque, de Fernando Trueba). De desde então vem alternando histórias clássicas com outras contemporâneas. Ele é o responsável, por exemplo, por Caught in the web, de enorme sucesso em seu país, que o indicou para concorrer ao Oscar de filme estrangeiro este ano, sugestão não corroborada pela Academia norte-americana.

O Sacrifício talvez não represente o ponto mais alto na carreira de Chen, o que não significa que não tenha seus méritos. O simples fato de trazer ao nosso país a cinematografia chinesa, já justifica uma ida ao cinema.

Nota 7



Ficha Técnica

O
Sacrifício (Zhao shi gu er ) - 122 min.
China -2010
Diretor: Kaige Chen
Roteiro: Zhao Ningyu
Com Xueqi Wang, WenzhuoZhao, Bingbing Fan, You Ge

Estreia 11/01 (São Paulo)



Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top