0



Cena do filme "Uma Família em Apuros"
Uma Família em Apuros faz lembrar as chamadas clássicas e já folclóricas da Sessão da Tarde: “Uma turminha da pesada vai aprontar muitas confusões deixando os vovôs em apuros que até Deus duvida!”. O longa dirigido pelo praticamente desconhecido Andy Fickman, dos descartáveis Treinando o Papai e A Montanha Enfeitiçada, não é nada mais que uma coleção de clichês usados nos famigerados filmes-família de Hollywood, como as franquias Doze é Demais, Entrando numa Fria e tantos outros produtos do cinemão-pipoca. A fórmula é sempre a mesma: um ator de veia cômica como protagonista do projeto, conflitos caricaturais na família, piadas sobre flatulência e similares, redenção de personagens com baixa autoestima e, por fim, com direito a trilha sonora melosa, a família unida.

Billy Cristal e Bette Midler, os vovôs em apuros

Poster do filme "Uma Família em Apuros"
O vovô em apuros é Artie (Billy Cristal), locutor de beisebol demitido de seu trabalho por ser velho para os padrões desejados pelo patrão. A cena da demissão traz uma das poucas piadas razoáveis de todo o filme: há brincadeiras com sua ignorância em relação aos modernos Facebook, Twitter e Angry Birds. A vovó é Diane (Bette Midler) e os dois encrencados do título em português fazem até um par cômico interessante representando a velha geração e sua antiga forma de educar filhos. O contraste da ideia de educação dos avós e dos pais das três crianças (“a turminha da pesada”) é o que norteia o fiapo de trama. O título original, Parental Guidance, aponta para isso, enquanto a lamentável escolha brasileira segue a triste jornada de nomes recorrentes e fadados ao esquecimento.

Os pais (Marisa Tomei e Tom Everett Scott) estão com viagem marcada e decidem deixar sua “galerinha do barulho” nas mãos dos, até então, sempre ausentes avós maternos. Está dada a largada para a gincana de desencontros entre dois representantes da educação à moda antiga e três pequenos criados num universo em que palavras como “não” e “errado” são abolidas e até o inocente açúcar é cortado do dia-a-dia. Billy Cristal e Bette Midler até que tentam carregar o filme natimorto nas costas, mas é impossível. São respeitáveis atores com timing cômico conhecido, produzem um bom dueto na canção Book of Love, juntos conseguem os diálogos menos constrangedores, mas não são milagreiros. Marisa Tomei, ótima atriz, corre pra cá e pra lá como uma mãe assoberbada e caricatural ao extremo. Dá pena lembrar que fez os ótimos O Lutador, Entre Quatro Paredes e Meu Primo Vinny, um triste contraste com o esquecível Uma Família em Apuros.  

Raspa do tacho de uma Sessão da Tarde qualquer no futuro
Para quem não tem lá muita exigência, o filme pode satisfazer. Foi seguindo tal fórmula que Hollywood gerou boas bilheterias: produto raso para consumidor idem. O conceito filme-passatempo vende bem. O que está em questão é que mesmo como artigo descartável
Uma Família em Apuros parece estar patamares abaixo de vários outros da mesma estirpe. Portanto, à turma que paga ingressos por filmes da raspa do tacho da Sessão da Tarde sem titubear, um conselho paternal à moda antiga: um pé atrás é sempre bom. Para quem curte cinema e tem piedade da alma dos bons Billy Cristal, Bette Midler e Marisa Tomei, fuja dessa tremenda roubada.


Por Rafael Fabro
Nota: 3    



Ficha Técnica

Uma Família em Apuros (Parental Guidance) - 104 min.
EUA - 2012
Diretor: Andy Fickman
Roteiro: Lisa Addario, Joe Syracuse

Elenco: Billy Crystal, Bette Midler, Marisa Tomei, Tom Everett Scott
Estreia: 11/01

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top