0

Compartilhe este conteúdo |


A versatilidade em fazer filmes de gêneros bem distintos  parece ser uma especialidade do diretor americano Steven Soderbergh. Desde que iniciou a sua carreira, com o drama vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1989, Sexo, Mentiras e Vídeotape,  o cineasta alternou entre histórias dramáticas, biografias (Che), longas de ação e até de ficção científica, como o recente título Contágio. Desta vez, o gênero escolhido é a comedia dramática sobre um rapaz (Channing Tatum, de Anjos da Lei) que tira a roupa para ganhar dinheiro, alcunhado de Magic Mike.


Cena-do-filme-Magic-Mike

Bem conduzido, “Magic Mike” vai além de um filme sobre strippers


Sem vocação para os estudos, Mike, de quase 30 anos, trabalha dedicadamente em uma casa noturna de stripper, gerenciada por Dallas (Matthew McConaughey, de O Poder e a Lei) onde dança, pula, cai no chão, simula fazer sexo, senta no colo das mulheres, carrega-as no colo; tudo para manter o seu alto padrão de vida regado a muita bebida e mulheres. E durante o dia, sob o nome de Michael, é marceneiro em construção de imóveis, e planeja, algum dia, abrir sua própria empresa.

E é a serviço do segundo emprego que o personagem principal inicia a sua transformação, quando encontra o The Kid (Alex Pettyfer, de Eu Sou o Número Quatro). O jovem lembra Mike mais novo, com os mesmos anseios para a diversão e falta de vontade para o estudo. E por isso o “adota”, levando-o ao clube. Mas é por intermédio da irmã do garoto, Brooke (Cody Horne,  de Marcados Para Morrer), que Mike atinge o ponto de sua virada, e como o próprio Dallas diz: “Você não esta ficando mais novo, Mike”.

Poster-do-filme-Magic-Mike
A gradual mudança é acompanhada de maneira sutil; se o estilo de vida de Mike é moralmente correto, o diretor acerta em não responder. O enfoque é traçar um panorama, mesmo que breve dos valores atribuídos a esses jovens americanos, como um todo. A vida dirigida pela esbórnia e luxúria, mesmo em personagens triviais, em um primeiro olhar, como as duas adolescentes que vão ao clube e a garota-passatempo de Mike.

Será que há preconceito ao profissional de stripper? Possivelmente, mas o destaque é outro, a visão bitolada e distorcida desses valores, os muitos mágicos apelidados de Mike que existem em qualquer outra profissão não convencional. Mike poderia trabalhar em qualquer outro emprego; a abordagem bem conduzida de um dançarino que se despe para ganhar a vida é uma fachada, uma desculpa. Afinal, seria muito pouco para Soderbergh fazer apenas um filme pró-strippers.  

Nota: 7


Ficha Técnica

Magic Mike (Magic Mike) – 110 min
Estados Unidos– 2012
Direção: Steven Soderbergh
Roteiro: Reid Carolin
Elenco: Channing Tatum, Alex Pettyfer, Matthew McConaughey, Olivia Munn, Cody Horny, James Martin Kelly

Estreia: 02/11



Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top