0


Robert Pattinson e Christina Ricci em cena do filme "Bel Ami: O Sedutor"
Bel Ami: O Sedutor é baseado em romance do escritor francês Guyde Maupassant e expõe as tramas de poderes da Paris do final do século XIX. Em meio às disputas entre a imprensa política e o governo, as ambições e manobras pessoais são reveladas. O filme retrata como um jovem com comprovada inaptidão para o jornalismo consegue ocupar os cargos mais elevados de um destacado jornal oposicionista do governo, nada muito diferente do que temos hoje.

No elenco está Robert Pattinson (da Saga Crepúsculo), que tem atuado bastante nos últimos anos e que, em 2012, também estreia como personagem principal em Cosmopolis. Além desse ator, que encantou os espectadores adolescentes, o longa apresenta Christina Ricci, atriz que interpretou Vandinha em A Família Addams I e II. Apesar dos cuidados com figurino e cenografia, o melhor resultado alcançado foi com a trilha musical, assinada por Lakshman Joseph de Sarame Rachel Portman. Esta compositora recebeu um Oscar pela trilha de Emma, além de ter trabalhado em vários outros filmes.

Riqueza e poder em "Bel Ami: O Sedutor"


Pôster do filme "Bel Ami: O Sedutor"
O ex-soldado Georges Duroy (Robert Pattinson) vai tentar a vida em Paris, onde, já sem dinheiro, encontra um ex-colega de batalhão, Charles Forestier (Philip Glenister), que é o atual editor político da revista La Vie Française e do qual recebe um convite para um jantar em sua casa com pessoas influentes, como o editor do jornal Rousset (Colm Meaney), sua mulher Mme Rousset (Kristin Scott Thomas) e Clotilde (Christina Ricci). Por sugestão de Madeleine Forestier (Uma Thurman), Duroy recebe uma coluna no jornal para a qual não escreve uma única linha. Além disso, de Madeleine também recebe o conselho de que o verdadeiro poder em Paris está nas esposas, e que ele deveria visitar suas amigas.

Imediatamente, Duroy inicia um romance com Clotilde, que é casada, e recebe todos os frutos de uma carreira bastante rentável, menos a admiração e amizade masculinas. O Bel Ami, nome dado pela filha de sua amante e pelo qual as mulheres passam a conhecê-lo, enfrentará algumas dificuldades para alcançar e se manter no alto escalão, mesmo não tendo qualquer talento para a profissão. Assim como em O Processo, de Franz Kafka, Josef K. tem sua vida enredada por mulheres, os relacionamentos de Duroy serão femininos. Uma boa analogia para se pensar. Duroy quer riqueza e poder e, usando seu poder de sedução, os talentos, as vulnerabilidades e as influências das mulheres, ele conseguirá o que quer?

Robert Pattinson e a batalha silenciosa


A trilha musical de Bel Ami: O Sedutor coloca Duroy em uma batalha para a qual o ex-soldado nunca tocará no punho de uma espada ou gatilho de um revólver. Ele consegue um lugar na teia de poder da política, altos postos na mídia, mas atua nos bastidores. Sua competência está em seduzir mulheres e, a partir delas, ascender rapidamente. Mas é um homem sozinho. O ambiente retratado é moderno no sentido de explicitar os jogos midiáticos e políticos, as suas relações e a forma como os agentes fazem suas jogadas para aumentar sua riqueza e seu poder.

Bel Ami parece estar em uma guerra e fará o que for preciso para atingir o seu objetivo e aprenderá a jogar. Bel Ami não é um filme marcante, algumas fotografias são boas, mas parece faltar um roteiro um pouquinho mais claro e forte, uma trama um pouco mais elaborada e também um pouco mais de trabalho da direção.

Nota: 6 





Ficha Técnica

Bel Ami: O Sedutor (Bel Ami) – 102 min
Reino Unido, França, Itália – 2012
Direção: Declan Donnellan
Roteiro: Rachel Bennette
Elenco: Robert Pattinson, Christina Ricci, Uma Thurman, Kristin Scott Thomas

Estreia: 3 de agosto 

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top