0


Cena do filme "Amor em Pedaços"
Contando a história de um romance durante 13 meses, 13 jovens cineastas da Escola de Cinema e Audiovisual da Catalunha lançaram o projeto do longa Amor em Pedaços. Cada um dos 13 alunos do Curso de Diretores de Cinema foi responsável por narrar o decorrer dos acontecimentos durante um mês na vida do casal, desde o momento em que se conhecem, no primeiro mês, até o momento em que são obrigados a se despedir, no décimo terceiro. O filme espanhol possui um elenco restrito aos dois protagonistas ao lado de mais dois coadjuvantes, além de um baixo orçamento, mas apesar disso foi uma revelação. Amor em Pedaços conta então mês a mês, sob diferentes olhares técnicos, a história de um amor com prazo de validade declarado.

"Amor em Pedaços" sintetiza todas as emoções de um relacionamento no decorrer de 13 meses


Os protagonistas do filme são a americana Sol e o espanhol Lucas, que vão estudar em Barcelona durante 13 meses e acabam sendo obrigados a dividir o apartamento por conta de uma confusão gerada pelos proprietários do imóvel. A partir daí, a extrovertida Sun começa a conhecer melhor o tímido Lucas e, contrariando as regras que proibíam relacionamentos entre moradores, começam um romance intenso permeado por risos, lágrimas, amor e sexo. A história então se desenrola de forma simples e natural, sem grandes acontecimentos, o que confere talvez uma maior delicadeza e pureza no relacionamento dos dois estudantes. Mas, quanto mais próximo vai ficando da data de ambos voltarem para suas respectivas casas, mais complicado vai se tornando para ambos lidarem com o fato de que encontraram o amor de verdade e que a realidade os está obrigando a se separarem, mais dia, menos dia.

Cartaz do filme "Amor em Pedaços"

Apesar de não ser brilhante, "Amor em Pedaços" consegue fazer o espectador rir e se emocionar


A premissa do filme é muito interessante, e proporcionalmente arriscada. Tropeça um pouco nesse risco, que também é seu diferencial: seria uma ideia ótima se todos os meses fosssem bem trabalhados de forma a não ocorrerem oscilações na qualidade da reprodução do romance de um mês para o outro. Apesar de termos momentos técnicos brilhantes e de fotografia exemplar, o longa falha em situações como na de um determinado mês que é retratado em tom de situacion comedy. Esse momento específico, por exemplo, quebra um pouco o clima de romance em desenvolvimento e fica sobrando em meio ao restante da trama, por simplesmente não dialogar em abordagem com os demais momentos do casal.

Apesar de contar com inúmeros clichês, que vão desde o começo do filme, quando ocorre a confusão em torno de quem ficaria com a vaga no apartamento, até o encaminhamento para o desfecho, e passando ainda pelo surgimento de um namorado de Sun que havia ficado nos EUA, Amor em Pedaços consegue cativar. Pela escolha de focalizar o máximo possível nos dois personagens principais durante o filme todo, o público acaba se afeiçoando às personalidades desenvolvidas na medida certa de Sun e Lucas e acaba se emocionando com o amor jovem dos dois.

O longa traz momentos divertidos, traz momentos de tensão entre o casal, traz momentos de angústia conforme vai chegando a hora da despedida que ambos insistem ao máximo em ignorar. As cenas de romance são bem aproveitadas de forma a tudo ser tratado com delicadeza e leveza. A obra também tem o mérito de não se tornar monótona em nenhum momento, graças à forma de produção. Não chega nem de longe a ser um filme que permaneça no imaginário dos espectadores por muito tempo, e nem tem a pretensão de gerar maiores reflexões acerca da vida, mas ainda sim é uma boa opção de filme leve e, de preferência, para ser assistido nas salas de cinema em casal.

Nota: 7 





Ficha Técnica

Amor em Pedaços (Puzzled Love) – 82 min
Espanha – 2012
Direção: Balagué, Carlos Pérez Reche, Gemma Ferraté, Josecho de Linares, Alejandro Javaloyas, Bruno Sarabia, Javier Sanz, Alba Giralt, Eduardo Riu, Miriam Canamares, Irene C. Rodriguez, Gaby Amion, Marc Juvé 
Elenco: Marcel Borràs, Saras Gil, Artur Busquets

Estreia: 3 de agosto 

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top