2


Na primeira tomada de Apenas uma Noite, a diretora iraniana Massy Tadjedin já coloca os personagens de Sam Worthington e Keira Knightley juntos na mesma locação, dentro de um táxi. Cada um em uma janela do banco de trás. Cada um olhando e viajando num mundo particular. Tadjedin põe os dois recém-casados lado a lado numa noite chuvosa em Nova York. Pensamentos flutuantes e faces dispersas mostram os protagonistas distantes um do outro, apesar das recentes juras de amor eterno.

Keira Knightley e Sam Worthington em cena de "Apenas uma Noite"
A cidade sempre chuvosa e com baixas temperaturas nos dá um clima de luto, como se algo ali estivesse morrendo, apagando, sempre propenso ao final. É nesta atmosfera de derrota que o casal Joanna Reed (Keira Knightley, de Um Método Perigoso) e Michael Reed (Sam Worthington, de À Beira do Abismo), duelam seus sentimentos e brigam pela harmonia de viver a dois.

“Apenas uma Noite” apresenta protagonistas em conflito sentimental


O próximo passo do longa é colocar os dois próximos a iscas perigosas, quando, na verdade, a própria isca já está ali dentro de cada um, esperando apenas uma motivação externa para aparecer e botar fogo no jogo de sentimentos existente entre Joanna e Michael.

A isca, por parte de Michael, é Laura, vivida por Eva Mendes (de Velozes & Furiosos 5: Operação Rio). Laura é amiga de trabalho de Michael. Profissional reconhecida e com atributos estéticos que qualquer personagem de Eva Mendes pode transmitir. Michael vê ali a chance de saborear tudo que o seu casamento não lhe oferece, ou que ele pelo menos pensa que não recebe.

A isca, por parte de Joanna, é bem parecida com a falta que Michael sente: a monotonia da zona de conforto enfrentada por vários casais. E enquanto Michael viaja a trabalho com Laura, ela reencontra um antigo amor, mas que está sempre presente em seus pensamentos, quando tudo aquilo que ela sonhou ter com Michael não lhe é dado.

Cartaz brasileiro do filme "Apenas uma Noite"

Cineasta Massy Tadjedin mostra sua visão de relacionamento


É com esses dados que a diretora Massy Tadjedin trabalha sua visão sobre relacionamentos, recém-casados, amor, paixão, desejo e traição. Apenas uma Noite tem uma carga de filme alternativo com seus planos, cortes, mas que perde muito justamente pelos atores não terem nem um pouco dessa carga emotiva que a trama pede.

Tadjedin revela com simplicidade o percurso tomado por casais que encontram pelo caminho artifícios para justificar, o que na visão de muitos, é um erro. A própria diretora afirma que seu longa não se trata de nada fictício, mas de situações vividas por ela e por outras tantas pessoas vítimas de traição.

“Apenas uma Noite” não brinca em serviço quanto ao roteiro, mas peca pela limitação do elenco, que, apesar de esforçado, não reflete a dramaticidade de um assunto tão indigesto. Fica o destaque para a talentosa iraniana Massy Tadjedin pela visão e perspicácia na abordagem do tema e no desenrolar dos fatos. Além de dirigir, ela também escreveu o roteiro.

Filme para ver sozinho e a dois. Uma obra que mostra um pouquinho da natureza humana diante do desafio que é entender o outro, ceder e pedir. Tadjedin te chama para refletir sobre uma situação que você já pode ter passado e que, se não passou, ela te dá dicas de como tudo pode acontecer.

Nota: 6 






Ficha Técnica

Apenas uma Noite (Last Night) – 93 min
EUA, França – 2010
Direção e Roteiro: Massy Tadjedin
Elenco: Keira Knightley, Sam Worthington, Eva Mendes, Anson Mount, Guillaume Canet

Estreia: 15 de junho 

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

  1. Ainda não assisti, é tipo Closer por uma noite?

    ResponderExcluir
  2. "Michael vê ali a chance de saborear tudo que o seu casamento não lhe oferece..."????
    Que ridículo, você viu mesmo o filme? Tá bom que o Avatar é meio fraquinho, mas dá para perceber que ele só viu uma gostosa que o tenta e intimida, não tem nada a ver com o que o casamento dele oferece ou deixa de oferecer! O bom desses comentários moralistas é que demonstram a capacidade que o filme tem de despertar discussões acerca do que é de fato uma traição e qual a sua forma mais marcante.
    Minha "crítica" sobre o filme, já que IV mencionou Closer:
    "Se você é daqueles que só precisa saber que a Keirinha está no filme para correr para o cinema, não precisa nem continuar lendo. Aproveite e vá logo!
    Eu sou desses. Ela é, digamos assim, cativante, com aquele corpinho esquálido, aqueles dentinhos acavalados, seios existentes (dá pra ver que estão lá). Para mim, linda assim (mesmo)! E ainda por cima, já me provou não só ser excelente atriz como também um selo de qualidade dos filmes em que topa participar (quase todos, porque no Caribe não faço muita questão de acompanhá-la, junto daquele Dep primente).
    Last Night (por que diabos mudar para Apenas Uma Noite????????) lembra Closer (também alterado para Perto Demais!!!). Mas eu diria, assim, no momento ainda de impacto pós-sessão, é ainda melhor.
    Complexo, profundo, tenso sem ser incômodo, com personagens MULTIDIMENSIONAIS (todo crítico hoje em dia escreve isso ou o oposto), "super humanas como pessoas", roteiro perfeito, fotografia envolvente, locações precisas (taí, parece um Woody Allen!!!!).
    A história? Bem, não vou contar nada, a não ser que o clima vai esquentando, você nunca sabe o que vai acontecer, e no final dá uma vontade de que lancem logo a sequência. O nome é fácil: Mais Uma Noite - A Continuação!
    Tá, só um comentário sobre o tema: ainda tá pra nascer quem me diga o que é de fato uma traição!
    Abs e bom filme!
    PS: Para quem não gosta da Keira, tem aquela feinha da Eva Mendes também...que por sinal atua surpreendentemente bem!"

    ResponderExcluir

 
Top