4


O diretor James McTeigue, responsável pelo memorável V de Vingança, traz para as telas do cinema o desdobramentos ficcionais que teriam envolvido o desenrolar dos últimos dias de vida do célebre escritor Edgar Allan Poe. Apesar do nome homônimo, o filme não é uma adaptação cinematográfica do conto produzido pelo próprio Poe, mas, durante a projeção, os personagens acabam visitando diversos outros contos do escritor. Logo nas primeiras cenas, por exemplo, fica clara a inspiração no conto Os Assassinatos da Rua Morgue. Com uma ambientação bem densa e de pegada meio gótica, O Corvo tem roteiro de Ben Livingston e Hannah Shakespeare. Para quem conhece algo das obras do autor, trazer para as telas a macabra e complexa mente de Edgar Allan Poe já é logo de cara o suficiente para atiçar a curiosidade do espectador.

John Cusack interpreta Edgar Allan Poe no filme "O Corvo"

"O Corvo" traz ao campo da imaginação, de forma sinistra, o que teria acontecido com o escritor norte-americano do século XVII


Na vida real, Edgar Allan Poe (John Cusack, do assustador 1408) foi encontrado em um estado de delírio pelas ruas de Baltimore, Maryland, repetindo, entre outras coisas, o nome Reynolds antes de morrer em um hospital apenas quatro dias depois. No filme, James McTeigue utiliza a imaginação para recriar uma história que explicasse o que aconteceu nos últimos dias de vida de Poe, para ilustrar o que levou um autor tão célebre a terminar seus dias assim. Na trama, uma série de crimes brutais e macabros começa a se desenrolar e Poe é chamado para auxiliar nas investigações junto com o detetive Fields (Luke Evans, o Zeus de Imortais), já que todos os crimes parecem ter sido obviamente inspirados em seus contos publicados. A partir daí, por motivos que vão desde provar sua inocência até salvar a vida de pessoas queridas, Allan Poe entra de cabeça nesse jogo de suspense, buscando até seu último minuto desvendar o que está acontecendo, os motivos dessa trama e quem é o assassino.

Edgar Allan Poe não faz ninguém quebrar a cabeça tentando decifrar o filme, mas consegue render uns bons sustos


Cartaz nacional do filme "O Corvo" (2012)
O Corvo tem uma ótima premissa: uma ideia original misturando um pouco de ficção com realidade. Porém, o desenrolar do filme acaba decepcionando um pouco quem esperava algo totalmente inédito. No decorrer do longa, ele se transforma em mais um thriller de suspense, no qual o mocinho passa as quase duas horas de projeção correndo de um lado para o outro tentando pegar o inimigo psicopata, enquanto vai juntando as pistas até chegar no clímax do desfecho e tudo se resolver. Uma coisa que talvez ajude a diminuir um pouco a ideia de fórmula pronta do roteiro é que, por se tratar de uma retomada dos últimos dias da vida de Poe, já é de se presumir que o mocinho não terá um final feliz.

Uma coisa que talvez também não tenha dado muito certo tenha sido a criação do personagem de John Cusack. Não que o ator tenha trabalhado mal ao interpretar o seu arrogante, pretensioso e muitas vezes desagradável Poe. Mas ao inserir humor demais em suas atitudes, pode ter perdido alguns ganchos interessantes de forma séria, como sua má relação com o alcoolismo. Apesar de não ser inovador, O Corvo não chega a ser ruim. Prende a atenção do espectador durante todo o decorrer do filme, já que o tempo todo os personagens se encontram na iminência de uma nova tragédia acontecer.

O suspense que a trama intenciona gerar é bem trabalhado: não é difícil levar alguns bons sustos no decorrer da história. Os atores, no geral, conseguem se encontrar dentro de seus personagens de forma eficiente, e fatores como ambientação, fotografia e iluminação estão impecáveis. O filme também assusta quem tem o estômago mais sensível em algumas cenas, por conta de mutilações e torturas, mas nada que já não fosse esperado do diretor de Ninja Assassino. Apesar de não variar na fórmula, é difícil quem não se pegue torcendo pelos personagens principais e ansioso com os desdobramentos das cenas finais.

Nota: 7 






Ficha Técnica

O Corvo (The Raven) – 111 min
EUA, Espanha, Hungria – 2012
Direção: James McTeigue
Roteiro: Ben Livingston, Hannah Shakespeare
Elenco: John Cusack, Luke Evans, Alice Eve, Brendan Gleeson, Oliver Jackson-Cohen, Brendan Coyle, Pam Ferris, Kevin McNally, Dave Legeno, Sergej Trifunovic, Karen Strassman

Estreia: 18 de maio 

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

  1. Muito bom saber que O Corvo não é um desastre, pois ainda não vi o filme e estava com uma má impressão dele.

    Visite o Película Criativa também:
    http://peliculacriativa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gosto do John Cusack, e a figura de Edgar Allan Poe já é suficientemente fascinante para atiçar a curiosidade.

    http://eaicinefilocadevoce.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Modinha de hollywood agora fazer filmes de epoca com tiradas comicas igual Sherlock holmes, pq os americano tao ficando burro e nao aguentam ficar sentado no cinema sem ter susto/riso.

    ResponderExcluir
  4. Sinceramente? Sai do cinema surpresa com o filme, estou bem acostumada com esse clichê do mocinho correndo atras de salvar a vida da amada, mas ainda sim o filme se desenvolveu incrivelmente. Amei o filme, ainda mais quando fui notando cada conto de Poe, ri em muitas cenas de felicidade por ver como o diretor fez as cenas fieis aos contos originais.Em suma, sai feliz do cinema.

    ResponderExcluir

 
Top