3


Se levarmos em conta que os prêmios recebidos por um filme podem dizer algo sobre ele, então Hasta La Vista! pode ser considerado uma boa opção na ida ao cinema. O longa foi agraciado com três prêmios no Festival de Montreal de 2011 (Grande Prêmio das Américas, Prêmio do Público e Prêmio do Júri Ecumênico), dois prêmios no Festival Seminci de Valladolid 2011 (Prêmio da Espiga de Ouro e Prêmio da Juventude) e o Prêmio do Público no Festival l'Alpe d'Huez 2012. Também conta com boa crítica do diretor francês Claude Lelouch (de Esses Amores), que o distribuiu na França. Dirigido pelo belga Geoffrey Enthoven, o filme se baseou na história real de Asta Philpot, contada no documentário For One Night Only, da BBC. Philpot aparece nos créditos de roteiro como responsável pela ideia original e também como produtor executivo.

Cena do filme "Hasta La Vista!"

"Hasta La Vista: Venha como você é" apresenta deficientes físicos e o direito ao sexo


Philip (Robrecht Vanden Thoren), tetraplégico, Lars (Gilles De Schrijver), cadeirante e doente de câncer, e Jozef (Tom Audenaert), funcionalmente cego, vivem sob os cuidados de suas famílias e frequentam um lugar onde degustam vinhos e fazem descrição de mulheres usando os mesmos termos da degustação. Após um fracasso de Philip na paquera de duas belas garotas atléticas em suas férias na praia, ele propõe aos amigos uma viagem à Punta del Mar, na Espanha, onde um amigo frequentou um bordel com acesso a deficientes. Philip, assim como os outros dois, queria sexo e acreditava que, pagando, teria as mulheres bonitas que quisesse.

A princípio, as famílias recebem com apreensão a proposta de os rapazes viajarem como adultos e desacompanhados de seus pais para fazerem a rota do vinho de Paris ao litoral da Espanha. Depois aceitam a viagem feita sob o acompanhamento de um enfermeiro com um veículo bem equipado. No entanto, o médico de Lars diz que sua doença progrediu e desaconselha a viagem. O cancelamento dos planos e a perspectiva de perder a oportunidade de fazer sexo e morrerem virgens faz com que os garotos busquem uma nova alternativa: uma viagem escondida.

Pôster do filme "Hasta La Vista!"
Philip faz os acertos com o novo enfermeiro por e-mail e, no local e um pouco depois do horário marcado, aparece uma mulher obesa – Claude (Isabelle Hertogh) –, com um veículo não tão novo assim. A viagem secreta acaba se distanciando do plano original e eles partem para viverem aventuras antes inesperadas. Apesar de ser baseado no documentário For One Night Only, Hasta La Vista: Venha como você é se distancia dele em muitos aspectos, se tornando uma história renovada para personagens parecidos. O documentário é uma boa indicação para quem quer uma opinião melhor e menos fantasiosa das questões sexuais e emocionais das pessoas com deficiência.

Roteiro de "Hasta La Vista!" é formulado fugindo e encontrando o bullying


O roteiro do filme consegue fugir das piadinhas e ridicularização dos deficientes físicos, um tema corrente do humor popular, mas, ao mesmo tempo, abusa da ridicularização, violência verbal e humilhação das mulheres. Uma pena, já que também há mulheres deficientes e elas apresentam as mesmas carências. Assim, Hasta La Vista! é bastante misógino. Também não mostra as dificuldades que os deficientes encontram no dia-a-dia, como problemas de acesso e discriminação e, principalmente, não se aprofunda nos problemas sexuais com os quais esses rapazes poderiam ter se deparado na satisfação de seus desejos. Sequer se aprofunda na questão da prostituição para a satisfação dessas necessidades. O resultado é uma obra superficial, que pode, como mostram os prêmios, agradar a uma plateia que não quer ver mais do que a superfície de um problema como o da sexualidade de pessoas com deficiências físicas.

Por: Angela Gomes
Nota: 5 






Ficha Técnica

Hasta La Vista: Venha como você é (Hasta La Vista!) – 115 min
Bélgica – 2011
Direção: Geoffrey Enthoven
Roteiro: Pierre de Clercq
Elenco: Robrecht Vanden Thoren, Gilles de Schryver, Tom Audenaert, Isabelle de Hertogh

Estreia: 25 de maio 

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

  1. Este filme é totalmente misógino. Trata as mulheres todo o tempo de forma ofensiva, agressiva e humilhante. é como se a mensagem do filme fosse: "é melhor ser deficiente do que ser mulher, porque ainda assim somos superiores e podemos comprar sexo"

    ResponderExcluir
  2. é um lixo absoluto. sou mulher e quase abandonei a sessão de tão ofendida que me senti. até quando misoginia será um prato cheio para piadas? pq as pessoas não enxergam que piada misógina é tão desprezível quanto piadas racistas?

    ResponderExcluir
  3. Adorei!!! Acho que todas as pessoas deveriam ter o privilegio de realizar seus sonhos e aventuras.
    o Intuito do filme não é falar mau das mulheres e sim das necessidades de todo o ser humano, não importando sua deficiência, que pode ser física, ou até mesmo por um situação de vida, como uma separação ou perda.

    ResponderExcluir

 
Top