0


Audrey Tautou em cena do filme "A Delicadeza do Amor"
O filme A Delicadeza do Amor, baseado no romance La Délicatesse, de David Foenkinos, que assina a direção do longa ao lado de Stéphane Foenkinos e o roteiro, congrega elementos de um drama romântico comum – ou comédia dramática , termo justo. Afinal, ambos os momentos, tão díspares, costumam coexistir nos meandros da vida de personagens do cinema, e na realidade – e mesmo apoiado em convenções, cativa o espectador pela abordagem sensível e o bom momento dos atores em cena. A estrela do cinema francês Audrey Tautou (de Uma Doce Mentira), com sua beleza discreta e peculiar, dá o tom certo à protagonista, da mesma forma que François Damiens, e o filme convence pelos contornos corretos de uma história previsível, porém bem contada.

Personagem de Audrey Tautou tem uma vida e dois momentos


Pôster nacional do filme "A Delicadeza do Amor"
Nathalie Kerr (Audrey Tautou) é uma jovem bonita e inteligente, que, num dia comum, é abordada por um rapaz num charmoso café de Paris. Com uma elipse esperta, o filme mostra os dois juntos e apaixonados na saída do mesmo estabelecimento, alguns anos depois. É o típico casal dos sonhos; ambos são belos, estão apaixonados, querendo viver um amor puro, no qual o anel do molho de chaves substitui a aliança em um pedido de casamento peculiar. Após o casamento, o rapaz morre em um acidente e Nathalie decide se dedicar só ao trabalho. Determinado dia, de maneira impulsiva, ela beija seu colega de trabalho Markus Lundl (François Damiens), um sujeito pacato, tímido e sem o padrão de beleza pelo qual Nathalie e seu círculo social estão acostumados. Eis o princípio de uma relação surpreendente.

Dividido entre esses dois momentos, A Delicadeza do Amor, em seu primeiro ato, mostra o casal perfeito conforme o script social de qualquer cultura: beleza, romantismo, pureza e harmonia em níveis estratosféricos. Após a morte do marido de Nathalie, e a solidão inerente ao trauma, ela conhece um sujeito feio, com dificuldades no traquejo social, porém apaixonado por ela e disposto a oferecer-lhe o amor perdido. A delicadeza do título do longa refere-se ao singelo (e incompreensível?) apego que Nathalie sente por esse homem tão diferente do antigo amado, sentimento que tende a se transformar em algo mais forte com o passar do tempo.

"A Delicadeza do Amor" é uma obra delicada


Pessoas do convívio da mulher bonita e inteligente não entendem a razão pela qual ela sai com um homem tão fora das convenções, tão abaixo do seu nível hierárquico, mas, contrariando a máxima de Vinícius de Moraes, que aponta que “desculpem as feias, mas beleza é fundamental” (nesse caso, o feio), o roteiro de David Foenkinos expõe que há outras questões, além de beleza física e sofisticação intelectual, que estão em jogo na interação sentimental. A Delicadeza do Amor esbarra no pieguismo em alguns momentos, mas é uma obra dócil e bonita.

Nota: 8 






Ficha Técnica

A Delicadeza do Amor (La Délicatesse) – 108 min
França – 2011
Direção: David Foenkinos, Stéphane Foenkinos
Roteiro: David Foenkinos
Elenco: Audrey Tautou, François Damiens, Bruno Todeschini, Mélanie Bernier, Joséphine de Meaux, Pio Marmaï, Audrey Fleurot

Estreia: 25 de março 

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top