7


O que esperar de um filme de suspense? Que ele te proporcione fortes emoções. Como fazer isso de uma forma inovadora se está tudo tão gasto? Infelizmente, o diretor brasileiro Heitor Dhalia não conseguiu responder à questão em sua estreia em Hollywood com o filme 12 Horas

"12 Horas" configura uma estreia mediana do diretor brasileiro Heitor Dhalia em Hollywood


Amanda Seyfried em cena do filme "12 Horas"
Dhalia, que no Brasil dirigiu, entre outros, O Cheiro do Ralo e À Deriva, notadamente suas obras mais autorais e que o projetaram no cenário nacional, seguiu exatamente o script hollywoodiano sobre como fazer um filme de suspense. Em 12 Horas, ele contou a história de Jill (Amanda Seyfried, de O Preço do Amanhã) que ao chegar a sua casa depois de uma noite de trabalho não encontra sua irmã Molly (Emily Wickersham, de Eu Sou o Número Quatro).

Esse acontecimento faz emergir os traumas de um sequestro que ninguém acredita. Jill afirma que foi a única que conseguiu escapar de um serial killer e que é esse o destino de sua irmã, caso não seja encontrada a tempo. No entanto, a polícia se recusa a ajudá-la dado que nunca houve qualquer prova de que um dia ela tenha sido sequestrada e considera tudo como alucinações. Diante disso, Jill parte sozinha para encontrar o assassino e salvar sua irmã.

A história não promete muito, assim como o filme. As fortes emoções esperadas não acontecem e, ao assistir ao longa, ele demonstra ser mais didático que uma escolha correta de uso da linguagem cinematográfica. Soma-se a tudo isso o desnecessário e excessivo recurso de flashbacks, tornando o filme cansativo e lento. Uma pena que a opção do diretor foi escolher esse viés, pois deixou 12 Horas, que poderia ser mais rico, simplório.

Amanda Seyfried mostra uma nova faceta numa história de superação de traumas em "Gone"


Ainda assim, é interessante ver o filme para entender a sua abordagem sobre como é possível lidar com traumas. Esse tema se encaixa com o papel da atriz Amanda Seyfried, que deixa de ser a vítima ou a menina romântica de seus filmes anteriores para se assumir uma personagem mais forte, com vários problemas para lidar, e que toma fortes decisões.

Por: Paula Marcon
Nota: 4.5 





Ficha Técnica


12 Horas (Gone) – 94 min
EUA – 2011
Direção: Heitor Dhalia
Roteiro: Allison Burnett
Elenco: Amanda Seyfried, Emily Wickersham, Jennifer Carpenter, Daniel Sunjata, Wes Bentley, Sebastian Stan, Katherine Moennig, Joel David Moore, Jordan Fry, Michael Paré

Estreia: 13 de abril 

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

  1. Pelo pouco que mostra no trailer o cara é bom ...se tiver oportunidade vou conferir o filme ...

    ResponderExcluir
  2. eu gostei do filme

    ResponderExcluir
  3. tem q apoiar, e não desmerecer o trabalho do cara

    ResponderExcluir
  4. Gostei do filme, só que ele cria muita expectativa pro final- que não é tão bom.

    ResponderExcluir
  5. gostei bastante do filme

    ResponderExcluir
  6. Eu também gostei do filme! Amanda se mostrou melhor neste, se comparada à outros, como você disse. Só achei que o assassino poderia ser o novo agente da polícia (não sei o nome do ator). Mas aí talvez fosse ficar óbvio demais, né?? Mas no todo gostei do filme!

    ResponderExcluir

 
Top