0
Detentor do Cinturão dos Médios do UFC (maior organização de artes marciais mistas do mundo), o lutador Anderson Silva encontrou-se com a imprensa para falar de seu primeiro documentário, Como Água, e o Cinema na Rede não podia deixar de comparecer. O filme acompanha Anderson durante sua preparação para enfrentar o norte americano Chael Sonnen, em agosto de 2010, e enfatiza o lado pessoal do lutador, que também passou por desentendimentos com a organização do UFC.


"Ator eu já sou", diz Anderson Silva


Sempre em tom de brincadeira, Anderson disse que já se considera um ator. "Eu acabei de gravar Cleópatra X ­e iria participar de um filme com Steven Seagal, mas por causa da rotina de treinos não deu certo", disse, quando foi questionado sobre como é a sensação de atuar. Mas o "ator" fez questão de dizer que agiu naturalmente diante das câmeras, não atuando em nenhum momento, e ainda brincou que lutar é bem mais fácil do que ser ator.

Após o confronto com Chael Sonnen, o atleta já defendeu seu cinturão mais duas vezes, uma delas contra Vítor Belfort, luta que chamou muita atenção para o UFC no Brasil, mas que não entrou no documentário. Porém, uma revanche contra Chael deve acontecer ainda esse ano, provavelmente em São Paulo. Sobre a possibilidade de um Como Água 2, Anderson se valeu mais uma vez de seu famoso senso de humor: “Acho que não vai ter não. Mas de repente a gente faz outro filme. Eu tendo que resgatar o Chael em algum lugar, perdido aqui no Brasil”.


Anderson Silva fala sobre comentários provocativos de Chael Sonnen


O comentário de Anderson sobre resgatar Chael não foi dito à toa. Durante a preparação para a luta dos dois atletas em 2010, a primeira em que Anderson se preparou fora do Brasil, Chael fez inúmeras provocações de mau gosto ao atleta, incluindo diversos comentários preconceituosos sobre o Brasil. Uma das pérolas mais famosas de Chael é sobre o hábito que Anderson tem de fazer uma reverência oriental aos seus oponentes. "Anderson Silva não vem de uma cultura de reverências. Acontece que lá no Brasil, se você abaixar a cabeça, alguém te bate na cabeça e rouba a sua carteira".

Como Água é uma grande aposta da California Filmes, e estreia no dia 16 de março em 150 salas de cinema por todo país, um número alto para este gênero de filme. Com ele, a distribuidora espera bater o recorde de bilheteria de um documentário no Brasil e, se depender do carisma e popularidade de Anderson, tem tudo para conseguir.

Por: Lucas Siqueira Cesar

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top