0
Guerra é Guerra!, novo filme de Reese Witherspoon (de Legalmente Loira e Água para Elefantes), reúne elementos de três gêneros – comédia, romance e ação –, podendo ser definido como uma comédia romântica de ação. Claramente direcionado ao entretenimento do público, sem desenvolver com maior profundidade conflitos dramáticos, o longa cumpre o que promete. O diretor McG (de As Panteras) consegue oferecer uma trama que funciona bem, tanto em cenas de ação, como em sua veia de comédia romântica, com proporções e núcleos bem definidos. 

Reese Witherspoon afirma em entrevista que não liga para críticas negativas


A atriz Reese Witherspoon veio ao Rio de Janeiro para divulgar Guerra é Guerra! e disse em entrevista que não liga para a recepção fria da crítica estadunidense, pois existem filmes com diversos objetivos: seja apenas entreter, explorar conceitos mais artísticos ou ganhar o Oscar, por exemplo. E, de certa forma, ela tem razão. Cada filme deve ser analisado a partir de sua proposta, sem preconceitos. Muitas pessoas, inclusive da área, confundem o importante papel da crítica de cinema com o ato de procurar defeitos. E isso é um equívoco. O papel do crítico de cinema é saber interpretar determinada obra e abrir um canal de diálogo mais profundo para seu público. 

Roteiro de Guerra é Guerra! transforma o irreal em algo aparentemente possível


A trama de Guerra é Guerra! não se preocupa em ser crível e utiliza clichês de filmes de espionagem e comédia romântica em doses generosas, mas sem receio algum, pois, apesar disso, a boa interação entre os atores faz com que a história flua bem e conquiste a atenção dos espectador. Sem contar as tiradas cômicas, bem colocadas e contextualizadas. Na trama de Guerra é Guerra!, dois melhores amigos são agentes da CIA e descobrem que estão interessados pela mesma mulher. A partir disso, eles passam a competir e utilizam até recursos da agência para sair em vantagem em relação ao outro. 

Há também uma sub-trama, com o mais do que batido clichê do antagonista russo com mais crueldade do que perspicácia, mas, em vez de atrapalhar a trama principal, ela acrescenta cenas de ação com edições frenéticas e empolgante trilha sonora, dignas dos filmes mais modernos estilo 007. O conflito dos amigos, FDR (Chris Pine, de Incontrolável) e Tuck (Tom Hardy, de O Espião que Sabia Demais), que descobrem estar saindo com a mesma pessoa, tem como ponto central Lauren (Witherspoon), que precisa decidir com qual deles vai ficar. 

Guerra é Guerra! mistura com competência cenas de ação e tiradas cômicas


Lauren é bem sucedida profissionalmente, mas não se recuperou do término de seu último relacionamento – este fato gera uma das cenas mais engraçadas do filme. Sua melhor amiga, Trish (Chelsea Handler, de Hop: Rebelde Sem Páscoa) quer encontrar um namorado para Lauren e recorre até a um site de encontros para obter sucesso em sua empreitada. Guerra é Guerra! poderia cair facilmente no lugar comum se privilegiasse apenas a ação ou a comédia romântica, mas funciona muito bem justamente pela junção de gêneros. Se você adora um bom entretenimento descompromissado, este é um prato cheio. Mas, se você é cinéfilo e prefere um bom filme de arte, qual o problema de relaxar com umas boas risadas? Com certeza, você vai gostar muito, pelo menos, do diálogo de FDR e Lauren na videolocadora, sobre clássicos de Hitchcock. 

Nota: 8,5





Ficha Técnica


Guerra é Guerra! (This Means War) – 97 min 
EUA – 2012 
Direção: McG 
Roteiro: Timothy Dowling, Simon Kinberg 
Elenco: Reese Witherspoon, Chris Pine, Tom Hardy, Til Schweiger, Chelsea Handler, John Paul Ruttan, Abigail Spencer, Angela Bassett, Rosemary Harris 

Estreia: 16 de março

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top