Publicidade

Trinta

Crítica - Billi Pig

1 de março de 2012

Trocando o clima cinzento, obscuro e mórbido de filmes como A Concepção (com Matheus Nachtergaele) e Se Nada Mais Der Certo (com Cauã Reymond), que tinham personagens hedonistas, idealistas e descrentes do status quo, José Eduardo Belmonte aposta em um filme ensolarado, de leveza transparente e com grande apelo popular, para narrar a história de um porquinho oráculo chamado Billi Pig.

Breve sinopse: corretor endividado (Selton Mello, de Reis e Ratos) e ameaçado por causa do porco conselheiro que dá nome ao título do filme de perder sua mulher (Grazi Massafera), aspirante à atriz, enxerga uma oportunidade quando descobre duas coisas; o vizinho de sua rua é um padre milagreiro-picareta (Milton Gonçalves, de Assalto ao Banco Central) e um poderoso traficante (Otávio Muller, de Riscado) quer de qualquer forma salvar sua filha baleada que está em coma. Wanderley (Selton Mello) junta o seu tico-teco e planeja solucionar seus problemas.

Sem objetivo definido, o filme Billi Pig se perde, apesar de algumas cenas cômicas


O longa, desencanado e despretensioso, faz rir em certos momentos, mas não pelo contexto do filme em si (única exceção é a justificada cena cômica na qual aparecem Cássia Kiss e Sandra Pêra), e sim por cenas isoladas que poderiam estar em qualquer outro bloco de programa humorístico; isto é, não se agregam à história. A ausência total de pretensão foi o tiro no pé do diretor José Eduardo Belmonte, que também assina o roteiro. Desprovido de sequer um objetivo específico, o filme demora a se decidir quem é o personagem principal. Só depois de quase quinze minutos de projeção o protagonista é destacado. O que se salva em Billi Pig é o deboche feito pela personagem de Marivalda (Grazi Massafera), que se auto-ironiza com competência em sua estreia em papel de destaque no cinema.

Roteiro furado e carisma de atores não salva Billi Pig


O roteiro tapa buracos e parece se confundir com uma montagem: os ganchos, principalmente da metade para o fim, parecem ter sido feitos por uma colagem, uma espécie de emenda para conseguir costurar e finalizar a trama. E, mesmo assim, sobram frestas. Por exemplo: a dona da funerária e seu auxiliar, vividos por Preta Gil e Milhem Cortaz (de Tropa de Elite 2), são um caso típico de um roteiro fraco, pois eles saem da trama sem qualquer explicação, enquanto poderiam ter sido utilizados como os verdadeiros antagonistas da história. Assim como saíram sem explicação, infelizmente entraram tda mesma forma, o que no caso de Milhem Cortaz é um verdadeiro desperdício de talento. O mesmo pode se dizer de Selton Mello e Milton Gonçalves, que, mesmo com todo carisma e talento, não conseguem emplacar o filme.

Por: Tiago Canavarros 
Nota: 3,5





Ficha Técnica

Billi Pig – 95 min
Brasil – 2012
Direção: José Eduardo Belmonte 
Roteiro: José Eduardo Belmonte, Ronaldo D'Oxum
Elenco: Grazi Massafera, Selton Mello, Milton Gonçalves, Otávio Muller, Preta Gil, Cássia Kiss, Zezeh Barbosa, Sandra Pêra, Milhem Cortaz,  Murilo Grossi, Tadeu Mello, Priscila Marinho

Estreia: 2 de março

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

15 comentários:

Anônimo disse...

Não precisa necessariamente entender de cinema para constatar o que foi dito por Tiago Canavarros. E ainda na minha humilde avaliação, acrescento e destaco a péssima atuação de Grazi Massafera (não me convenceu em momento algum), a falta de nexo do sonho, do passado com o presente, o porquinho com piadas nada inteligentes,o musical com figurantes/atores inexpressivos (muito amadora a cena), cenas demoradas, cansativas e com pouco diálogo (refiro-me a que o casal está num quarto escuro sozinhos achando que iam morrer)enfim, PÉSSIMO !!!!! Não atendeu em nenhum instante as minhas espectativas.

Anônimo disse...

Tive vontade de correr do cinema.A voz de grazzi, irritante no porquinho.Seltom Melo sempre melancólico.

Anônimo disse...

não gaste seu dinheiro indo no cinema pra assistir essa porcaria, horrível

Anônimo disse...

Tb não gostei do filme. Concordo com o q todos disseram!!!

Jose disse...

Me senti ofendido e roubado indo assistir este filme. Deveria haver uma censura para porcarias como esta. Agora entendi porque haviam somente 9 idiotas no cinema ( eu e + 8 ).

Jose disse...

Me senti ofendido e assaltado assitindo este filme.
Deveria haver uma censura que proibisse este tipo de exibição.
Da impressão que fizeram um filme em uma reunião de final de semana.
Péssimo !!!

Anônimo disse...

CALMA GALERA, ELES ESTÃO TENTANDO!

Anônimo disse...

PÉSSIMO!!! Quem classificou essa porcaria como comédia??

Anônimo disse...

Eu paguei 34 reais pra ver esse filme com minha namorada e saimos do cinema irritados e com a noite completamente arruinada. Esse filme é muito ruim, um lixo!!!

Anônimo disse...

Todos os comentarios aqui reunidos estao corretissimos, nao gastem seus reais para ver esse filme. Muito ruim!

Anônimo disse...

Tambem tenho que concordar com todos os comentários... Não é exagero. O filme é muito ruim. Muito mesmo. Algumas pessoas levantaram e foram embora na sala em que assisti. Quase que dá para afirmar que foi feito para "levantar um troco" aproveitando o peso do Selton Mello. O que me admira é ele e os demais atores se queimarem num lixo como este. Que situação...

Anônimo disse...

... impressionante como os atores se sujeitaram a este lixo (que não dá nem pra reciclar).
É um ultraje ao cinema nacional que vem crescendo tanto.
Não vejam...

Jaqueilne disse...

Tive vontade de ir embora várias vezes, mas queria saber o final... Que arrependimento!!! Filme horrível! Um lixo!

Anônimo disse...

Realmente... um filme horrivel!
Assisti ontem e não vi graça em nenhuma parte, paguei para assistir um filme de comédia que não me divertiu hora nenhuma!
Dinheiro e tempo jogados fora!
LIXO!!!!!

Débora Telli disse...

Muito ruim! Me dá a impressão de que eles fizeram um filme de uma minissérie de 10 capítulos, cortando um monte de cenas importantes. Concordo mesmo com a parte de que foi um desperdício de talento, não só do Milhem Cortaz, mas de um monte de gente. A mãe do padre, que se apareceu 2 minutos foi muito, foi mais importante pra história do que o porco!

Postar um comentário

 
Cinema na Rede | by TNB ©2010 | O conteúdo deste site está protegido sob licença Creative Commons | Marketing Digital: Fizzy