2
Glenn Close interpreta um dos papéis mais desafiadores de sua carreira neste filme baseado em conto do novelista irlandês George Moore. O longa conta a história de uma mulher irlandesa que se vê obrigada a viver disfarçada de homem, em pleno século XIX, e rendeu a Glenn Close e Janet McTeer as indicações ao Oscar 2012 de melhor atriz e melhor atriz coadjuvante, respectivamente. 

Uma mulher em um mundo de homens no filme Albert Nobbs


Albert Nobbs (Glenn Close, de Deu a Louca na Chapeuzinho 2), um homem muito reservado, é o principal garçom de um hotel de luxo em Dublin. Mas, apesar de sua excentricidade peculiar, Albert guarda um segredo que passa desapercebido por todos: o garçom parcimonioso é, na verdade, uma mulher. Mas mesmo para o espectador que sabe que Albert é uma mulher, o personagem permanece rodeado de mistérios. Quando ela passou a viver como homem? Por que se transformou? Foi uma escolha imposta ou deliberada? 

A vida de Albert no hotel é bastante estável e monótona, e ele (ela) se dedica bastante ao trabalho, que é puxado. Mas, certo dia, um pintor é contratado pelo hotel e é obrigado a pernoitar no local. E como Albert é um dos pouco empregados homens, acaba sendo instalado em seu quarto. Ao dividir este mesmo quarto, o pintor, Hubert Page (Janet McTeer), descobre o segredo de Albert por acidente. Primeiro Albert fica muito preocupado, mas da situação improvável nasce uma amizade que desperta os sentimentos do garçom, fazendo-o voltar a sonhar.

Albert Nobbs se destaca pelas boas atuações


O grande trunfo de Albert Nobbs, não há dúvidas, são as atuações de Glenn Close e Janet McTeer, embora o trabalho da primeira seja muito mais convincente. Não se pode dizer que a feminilidade não transpareça nos disfarces masculinos das personagens, mas, curiosamente, é em uma cena onde ambas decidem dar uma volta vestidas como mulher, que as atrizes mais se parecem com homens de verdade. Nessa cena o trabalho de Glenn Close é realmente incrível. 

Apesar de mostrar mulheres que vivem como homens, e estas, como homens, chegarem a se apaixonar por outras mulheres, o filme Albert Nobbs não parece ser uma obra que intencione discutir o tema do homossexualismo. O longa tem um ritmo calmo e traz poucos momentos empolgantes durante a narrativa, mas é um belo retrato de uma época e uma história por si só interessante. 

Por: Lucas Siqueira Cesar 
Nota: 6




Ficha Técnica


Albert Nobbs – 113 min 
Reino Unido, Irlanda – 2011 
Direção: Rodrigo García 
Roteiro: Glenn Close, John Banville, Gabriella Prekop 
Elenco: Glenn Close, Janet McTeer, Mia Wasikowska, Aaron Johnson 

Estreia: 24 de fevereiro

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

  1. perfeita interpretação,uma verdadeira aula de arte dramática em todos os sentidos...aprendam!Go,Johnny go!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, a máscara (ter que ser outro, para sobeviver), faz, por vezes, com que
    as pessoas esqueçam sua verdadeira identidade.

    ResponderExcluir

 
Top