Publicidade

Entre Nós

Crítica - As Mulheres do Sexto Andar

28 de janeiro de 2012

A eterna luta burguesia x trabalhadores é o tema da comédia francesa As Mulheres do Sexto Andar, escrita (com colaboração de Jérôme Tonnerre) e dirigida por Philippe Le Guay. O fundo político, porém, é apenas um pretexto para se falar da busca do amor e da felicidade.

Exótica cultura espanhola


Jean-Louis Joubert (Fabrice Luchini, de Potiche: Esposa Troféu) é um bem-sucedido corretor da bolsa de valores, casado com Suzanne (Sandrine Kiberlain, de O Pequeno Nicolau), uma mulher fútil, com quem leva uma vida estável e sem surpresas. A vida do casal começa a mudar quando a velha empregada vai embora e é substituída pela bela e eficiente Maria (Natalia Verbeke), recém-chegada a Paris, vinda da Espanha em busca de uma vida melhor.

Por intermédio de Maria, Jean-Louis descobre um novo mundo: o sexto andar do edifício onde reside desde que nasceu; residência também de todas as domésticas espanholas, para quem as dificuldades do dia-a-dia não são razão para que se sintam infelizes. Pelo contrário, servem como combustível para que continuem perseguindo seus sonhos. A alegria e o companheirismo reinante entre as empregadas, a descoberta da exótica cultura espanhola, com sua língua, música e comida deliciosas, transformam Jean-Louis, que põe em dúvida a felicidade que sentia até então...

Elenco compensa previsibilidade de As Mulheres do Sexto Andar


A previsibilidade do roteiro é amplamente compensada pela excelente atuação de todo o elenco, com destaque para Fabrice Luchini, que transmite credibilidade ao incorporar o alienado burguês que se descobre através daquelas esfuziantes mulheres. Todos, porém, têm seu momento de brilho, entre eles a veterana Carmen Maura, ex-musa do espanhol Pedro Almodóvar. 

Ambientada no início dos anos 60, antes portanto do maio de 68, a produção retrata uma sociedade conservadora, com valores hoje anacrônicos. As questões sociais e políticas, como a sangrenta Guerra Civil Espanhola, são apenas citadas, não sendo exploradas a fundo. Tampouco é discutido o preconceito pelas nações ibéricas por parte dos franceses, que até pouco tempo atrás diziam que após os Pirineus (cadeia montanhosa que separa a França da Espanha) estava a África.

Hoje, com a economia europeia em frangalhos, e o mundo cada vez mais politicamente correto, o objetivo da comédia parece ser apenas fazer rir, o que consegue com facilidade, graças às excelentes atuações e ao conforto que o passado, por mais difícil que tenha sido, transmite em momentos de crise.

Por: Gilson Carvalho
Nota: 7.5




Ficha técnica

As Mulheres do Sexto Andar (Les Femmes du 6ême Étage) – 104 min 
França – 2011 
Direção: Philippe Le Guay 
Roteiro: Philippe Le Guay, Jérôme Tonnerre 
Elenco:  Fabrice Luchini, Sandrine Kiberlain, Natalia Verbeke, Carmen Maura, Lola Dueñas 

Estreia: 10 de fevereiro

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

 
Cinema na Rede | by TNB ©2010 | O conteúdo deste site está protegido sob licença Creative Commons | Marketing Digital: Fizzy