1

“Matar um leão a cada dia”... Nem sempre conseguimos cumprir o que manda o conhecido ditado popular. A tensão inevitável, em meio ao desespero de se manter uma vida considerada normal, é abordada por intermédio de um tema delicado em Tarde Demais: o assassinato em série em uma universidade norte-americana, cometido pelo adolescente Sammy (Kyle Gallner). É apresentada uma relação conflituosa entre pai (Bill, Michael Sheen de Tron: O Legado), mãe (Kate, Maria Bello de Sem Saída) e filho (Sammy), mas não o combate físico e verbal, e sim um conflito mais intenso, subjetivo e psicológico, que perpassa entre o cuidado da mãe protetora, a preocupação do pai em proporcionar um padrão superior de consumo à família e do filho em manter-se dentro dos padrões.

O filme dirigido por Shawn Ku aborda essa questão a partir da perspectiva dos pais, que tentam compreender o ato de Sammy, ao divagar sobre acontecimentos da infância do garoto e da memória coletiva da família, numa tentativa de entender os possíveis motivos deste fato. Com a predominância de takes em primeiro plano, câmera pouco estática, travelling e planos subjetivos, o espectador tem, em grande parte da exibição, a sensação de que está invadindo a cena e observando com cautela, e muito detalhes, pequenas pistas deixadas pelo jovem.

Em paralelo ao sofrimento e ao desgosto, nota-se como ponto de ligação entre a ficção e o período real contemporâneo a abordagem da imprensa em relação à família e a busca por informações sobre o caso em redes sociais. Uma crítica à espetacularização midiática e à grande exposição que estas novas ferramentas causam, como também, à fragilidade do discurso de boa parte dos usuários, que, diante de um tema sério e complexo, limitam-se à reprodução de discursos reacionários, escondidos em perfis fakes, com sentimento de justiça deturpado, e, ainda, ao egoísmo de desconhecidos e até de amigos que insistem em repetir clichês a respeito da violência.

Interessante observar também o direcionamento da direção de fotografia e iluminação, associada ao período póstumo. São cenas com poucos contrastes e brilho reduzido, que enfatizam a ideia de tristeza e o sentimento de nunca mais alcançar o brilho do sol em seus dias. Mesmo tentando voltar ao cotidiano, com a rotina das tarefas corriqueiras do dia-a-dia, dos afazeres domésticos e do escritório, Bill e  Kate continuam presos à necessidade de conhecer a verdade. Este drama perdura em meio a momentos de um discreto sorriso; a dúvida em relação a descobrir de quem foi a culpa e quais momentos foram errados no decorrer da vida mantém o roteiro firme, sustentado pela “eterna dúvida” ou pela “reconciliação com o futuro”? Essa é a questão: será que as coisas mudam daqui para frente? Confira esta obra e ponha-se a pensar.

Por: Robyson Vilaronga

Compre nos EUA e receba na sua casa


Tarde Demais (Beautiful Boy) – 100 min 
EUA – 2010
Direção: Shawn Ku 
Roteiro: Michael Armbruster, Shawn Ku
Elenco: Logan South, Maria Bello, Michael Sheen, Kyle Gallner, Bruce French, Austin Nichols 

Estreia: 04 de novembro

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

  1. Os pais de hoje em dia criados sob uma educação rígida, se tornam muito fexíveis às vontades dos filhos de hoje, mimados e cheios de vontades, possuem tudo na vida e se fazem de atormentados nunca satisfeitos com o que possuem, ou seja, querem uma vida perfeita sendo que o mundo não é perfeito.

    ResponderExcluir

 
Top