0

A eterna guerra entre os sexos. Como descrever a tensão de amor e ódio na relação mais antiga da humanidade? Certa vez um amigo definiu o seguinte sobre o sexo oposto: "Mulheres, ruim com elas, mas pior sem elas!". Do ponto de vista feminino, o mesmo deve valer para os homens assim esperamos nós. Mas o que torna essa "guerra" tão peculiar? Provavelmente o fato de os "oponentes" serem totalmente apaixonados um pelo outro, fato que obviamente deixa tudo mais complicado. Como resultado: sempre alguns corações partidos. Mas, como nas crônicas de Luis Fernando Veríssimo, também situações engraçadíssimas do cotidiano. Assim é a comédia italiana do diretor Fausto Brizzi, o mesmo de Ah... O Amor, de 2009.

Guerra dos Sexos conta 4 histórias que acontecem paralelamente no tempo. Apesar de separadas, elas se entrelaçam através de personagens secundários que transitam entre as tramas, funcionando como elos de ligação. Os 4 casos, sempre envolvendo relações amorosas, abordam diversos temas possíveis debaixo desse grande guarda-chuva: a dificuldade de um treinador de vôlei em se manter fiel à sua esposa, ao ser obrigado a passar por um período de abstinência sexual; o avanço da idade de uma mulher que flagra seu marido lhe traindo com uma jovem; a amizade entre um rapaz e uma garota que é ameaçada pelo amor de ambos a uma terceira garota; e um garanhão que se depara com o problema da impotência sexual justo quando conhece o amor de sua vida.

O filme chega ao Brasil com o título clichê Guerra dos Sexos, mas seu nome original é Maschi Contro Femmine, algo mais próximo de Homens Contra Mulheres não menos clichê. O título italiano pode passar a impressão de que a história é contada sob uma perspectiva mais masculina, mas a predominância do olhar dos homens é muito sutil talvez tenha sido esse o argumento por trás da escolha da tradução para o Brasil. A importância de ressaltar o nome em italiano se deve à complementaridade  que a obra recebe de sua continuação, Femmine Contro Maschi, que inclusive já foi lançada na Itália. Na sequência as histórias dos personagens secundários da primeira parte são exploradas e, provavelmente, a leve predominância de olhar seja invertida.

Personagens estereotipados vivendo situações surreais dão o tom do filme, de humor levemente escrachado e de estilo típico italiano. As 4 histórias vão se apresentando em ritmo agitado, com cortes rápidos, e cenas com várias gags encadeadas. Isso faz com que em certos momentos o filme passe a mesma sensação de produções feitas para a televisão, ou pela sequência de gags dos sitcoms norte-americanos, ou pelo desenrolar simultâneo de vários núcleos dramáticos das tele-novelas brasileiras. Mas, acima de tudo, é uma comédia romântica de texto delicioso e divertido, bem italiana, mesmo que o formato não seja muito inovador. 



Guerra dos Sexos (Maschi Contro Femmine) 113 min
Itália 2010
Direção: Fausto Brizzi
Roteiro: Fausto Brizzi, Massimiliano Bruno, Valeria Di Napoli, Marco Martani
Elenco: Paola Cortellesi, Fabio De Luigi, Sarah Felberbaum, Chiara Francini, Lucia Ocone, Francesco Pannofino, Alessandro Preziosi, Paolo Ruffini, Carla Signoris, Nicolas Vaporidis, Giorgia Wurth, Claudio Bisio, Nancy Brilli, Giuseppe Cederna, Luciana Littizzetto, Emilio Solfrizzi, Luca Calvani, Metis Di Meo

Estreia: 02 de dezembro

Compartilhe este conteúdo |

O Cinema está na Rede e também no Twitter O Cinema está na Rede e também no Facebook

Postar um comentário

 
Top